Porto Velho (RO) quinta-feira, 24 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Turismo

Nazaré comemora 50 anos e se firma como polo turístico


Nazaré comemora 50 anos e se firma como polo turístico - Gente de Opinião

Se há em Rondônia um território que preserva as genuínas tradições e a cultura amazônica, este é o distrito de Nazaré, a 150 km do centro da capital, com acesso hidroviário pelo rio Madeira. O último final de semana ficou movimentado com as comemorações do cinquentenário dos Festejos de Nazaré, evento anual que atrai turistas “descolados”, alternativos, apaixonados pelo ecoturismo, ativistas culturais, acadêmicos e jovens, que partem, principalmente, de Porto Velho e de distritos vizinhos. Mas, entre os visitantes há, também, estrangeiros e moradores de outros estados.

O Festejo Cultural de Nazaré demorou dois dias, 22 e 23 de julho. A abertura contou com a participação do Trio da Velha Guarda de Nazaré, grupo musical de seresta composto por moradores antigos do distrito; em seguida, a animação ficou por conta da quadrilha Fogo de Palha embalada por músicas produzidas pela própria comunidade.

Com as arquibancadas lotadas o evento encerrou no sábado (23), repetindo o sucesso dos anos anteriores e mantendo a autenticidade das quadrilhas juninas, com o boi-bumbá Curumim, formado por crianças. Seguiram-se números de carimbó e o seringandô, dança centenária criada nas festas do Uruapiara no Amazonas e levada para Nazaré pelo professor Manoel Maciel Nunes, pioneiro falecido há oito anos que dedicou sua vida à preservação dos costumes do povo ribeirinho.

Nazaré comemora 50 anos e se firma como polo turístico - Gente de Opinião

Organizado pelo Instituto Cultural e Socioambiental Minhas Raízes, o festejo é uma herança cultural deixada pelo professor Maciel, cujos filhos hoje continuam os trabalhos. Na arena improvisada verdadeiros shows de harmonia, plástica e talento; no palco, decorado como se fosse uma casa de caboclo, a cantoria de gente simples que desperta emoção e esbanja poesia e história em letras e sonoridades ímpares.

Representando o Governo do Estado de Rondônia, o superintendente de Turismo, Júlio Olivar, prestigiou o Festejo de Nazaré e teve a oportunidade de conversar com diversas lideranças e ativistas locais, buscando identificar e apoiar a preservação das tradições locais. “Nazaré é a verdadeira Amazônia de Rondônia. Muito fácil de ser promovida turisticamente porque o mais importante é esse cenário majestoso da floresta que se soma ao talento e a competência com que os artistas daqui atuam”, analisa.

Ao conversar com os moradores e organizadores do evento, Júlio Olivar, identificou que o distrito necessita de um olhar mais atento para sua infraestrutura e aparelhamento, sem que isso prejudique o que o vilarejo tem de melhor: a hospitalidade e a criatividade de seu povo. “Mas, não se faz turismo só com eventos, é preciso cuidar da economia [que gira em torno da agricultura familiar e da pesca], qualificação da cadeia que implica o setor turístico, além de obras de urbanização e restauro da memória, que não descaracterizem o povoado”.

Cheio de histórias e lendas, casario predominantemente de madeira, boa e farta comida à base de pescados e frutas amazônicas, Nazaré é sinônimo de sossego e alegria. Não há sequer um carro ou motocicleta no povoado de 600 habitantes, que não conta com policiamento e com casas sem cercas com quintas em comum. São cinco pousadas simples que atendem os turistas que buscam o contato direto com a natureza e as músicas inspiradas nas vivências amazônicas. Nazaré comemora 50 anos e se firma como polo turístico - Gente de Opinião

Júlio Olivar afirmou que há dificuldades para executar muitas ações no distrito por conta da questão fundiária [o povoado situa-se numa área devoluta da União], “isso precisa ser destravado” e se comprometeu a apresentar a outras instâncias dos governos estadual e federal e a parlamentares de Rondônia as necessidades de Nazaré, como a construção de um deque (já solicitado pela Setur à bancada federal) e um centro cultural adequado para confecção das roupas, artesanatos e adereços das quadrilhas e do boi-bumbá.

Potencial Turístico – Nazaré recebe, em média, 300 turistas todos os fins de semana e dispõe de cinco pousadas totalizando 25 leitos. Oferece aos visitantes atrações musicais com o Grupo Minhas Raízes – que fazem as próprias composições e os instrumentos musicais com matéria-prima da floresta –, passeios de barcos pelo lago Peixe-Boi, até o balneário Tabuleiro, onde em ocasiões especiais o turista é recepcionado e passa por uma integração cultural com ritual Mura Ananã, encenado pelo pajé Lucas Mura.

O ritual foi apresentado ao superintende de Turismo, Júlio Olivar, e mais cerca de 40 visitantes que ficaram encantados com o realismo do momento que retrata a vida ancestral do povoado. Lucas é descendente de índios Mura e faz questão de manter suas origens repetindo o ritual espiritual.

Bem em frente do bosque onde Lucas atua, é encontrada uma argila tida como “medicinal” e que é usada para fins estéticos. Um grupo de mulheres se esbaldou – e aprovou – a experiência de fazer máscara facial com a argila e, claro, desfrutar de um banho nas águas límpidas do lago Peixe-Boi.

Família de sucesso – O grupo Minhas Raízes, formados pelos filhos do professor Manoel Maciel, que manteve vivas as tradições e a unidade do distrito, conta a história dos ribeirinhos e exalta as belezas naturais da região.

Exaltando as belezas localizadas às margens do rio Madeira, a música “Vem passear de barco” é um convite para se curtir a vida como um legítimo “beiradeiro” (como os moradores) se definem. Vale a pena cada detalhe: do pôr-do-sol mais bonito da região Norte, o canto dos pássaros e outros sons da natureza em festa. Ou simplesmente, deitar-se na rede e sentir o frio certeiro de todas as noites.

Para chegar a Nazaré, o turista pode pegar, no porto Cai n’Água, em Porto Velho, um barco de recreio que sai às sextas-feiras, ao meio-dia, com retorno aos domingos, às 14h; são 6 horas de viagem com cerca de 90 passageiros a bordo, com direito a almoço. Outra possibilidade é se deslocar de carro até o povoado da Boca do Jamari, a 70 km de estrada de terra, e lá fretar uma voadeira que faz o percurso até Nazaré em duas horas.

Mais informações para passeios turísticos podem ser adquiridas através dos telefones: (69) 99335-2668 ou (69) 99254-8682, falar com o ativista Anauá Gomes.

Fonte: Ascom

Mais Sobre Turismo

Setur promove 2º edição do Workshop com Guias: Turismo e Cultura de Rondônia

Setur promove 2º edição do Workshop com Guias: Turismo e Cultura de Rondônia

O Governo de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual de Turismo (Setur), promoveu nesta terça-feira (22), o II Workshop com Guias: Turismo e C

Setur vai promover I Workshop Supera Turismo para fortalecer o empreendedorismo no setor

Setur vai promover I Workshop Supera Turismo para fortalecer o empreendedorismo no setor

O Governo de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual de Turismo (Setur) tem promovido ações de fomento ao Turismo em diferentes eixos, princ

Setur se reúne com municípios que integram os pólos turísticos para desenvolver a pesca esportiva em Rondônia

Setur se reúne com municípios que integram os pólos turísticos para desenvolver a pesca esportiva em Rondônia

O Governo de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual de Turismo (Setur), vem realizando reuniões em vários municípios do Estado com o objetivo

Sebrae reúne entidades e comunidade para debater portal turístico em Jaci Paraná

Sebrae reúne entidades e comunidade para debater portal turístico em Jaci Paraná

Jaci Paraná é um distrito distante cerca de 90 quilômetros da sede, a capital Porto Velho, possui cerca de 18 mil habitantes e foi muito impactado c