Porto Velho (RO) sexta-feira, 30 de julho de 2021
×
Gente de Opinião

Samuel Saraiva

Vacina: O alto custo do alarmismo e da desinformação


Vacina: O alto custo do alarmismo e da desinformação - Gente de Opinião

Você provavelmente está familiarizado com o alarmismo em torno da vacina, enfatiza o Jornalista David Leonhardt do New York Time:

“As vacinas contra coronavírus não são 100 por cento eficazes. As pessoas vacinadas ainda podem ser contagiosas. E as variantes do vírus podem piorar tudo. Portanto, não mude seu comportamento, mesmo se você tiver uma chance.”

Muito dessa mensagem tem alguma base na verdade, mas é fundamentalmente enganosa. A evidência até agora sugere que uma dose completa da vacina - com o período de espera apropriado após a segunda injeção - elimina efetivamente o risco de morte de Covid-19, quase elimina o risco de hospitalização e reduz drasticamente a capacidade de uma pessoa de infectar outra. Tudo isso também é verdade sobre as novas variantes do vírus.

 

No entanto, o alarmismo continua. E agora estamos vendo seus custos no mundo real: Muitas pessoas não querem receber a vacina em parte porque parece muito ineficaz.

Cerca de um terço dos membros do exército dos EUA recusou as vacinas. Quando as injeções foram disponibilizadas para as trabalhadoras de uma casa de saúde de Ohio, cerca de 60% disseram não. Alguns N.B.A. as estrelas têm medo de aparecer em anúncios de serviços públicos incentivando a vacinação.

Em todo o país, quase metade dos americanos recusaria uma chance se oferecida imediatamente, sugerem as pesquisas. O ceticismo em relação à vacinação é ainda maior entre negros e latinos e hispânicos, brancos sem diploma universitário, republicanos registrados e famílias de baixa renda.

 

Kate Grabowski, epidemiologista da Universidade Johns Hopkins, de Maryland comentou que ouviu de parentes sobre seus amigos e colegas de trabalho que optaram por não tomar a vacina porque continuam ouvindo que ainda podem pegar Covid e passá-la para outras pessoas - e ainda vão precisar usar máscaras e distância social. “Qual é o ponto?” disse ela, descrevendo a atitude deles.

A mensagem dos especialistas, disse Grabowski, está “sendo mal interpretada. Isso é por nossa conta. Estamos claramente fazendo algo errado. ”

“Nossa discussão sobre vacinas tem sido ruim, muito ruim”, expressou o Dr. Muge Cevik, um virologista. “Como cientistas, precisamos ser mais cuidadosos com o que dizemos e como isso pode ser entendido pelo público, propenso a adotar como verdades próprias conceitos ou informações mal assimiladas que não conseguem sustentar com argumentação minimamente razoável”.

 

O custo da confusão

Muitos especialistas acadêmicos - e, jornalistas também - são instintivamente céticos e cautelosos. Esse instinto fez com que as mensagens públicas sobre vacinas enfatizassem a incerteza e potenciais más notícias futuras.

Para dar um exemplo: os testes iniciais de pesquisa das vacinas Moderna e Pfizer não estudaram se uma pessoa vacinada poderia ser infectada e infectar outra pessoa. Mas a evidência científica acumulada sugere que as chances são muito pequenas de que uma pessoa vacinada possa infectar outra pessoa com um caso grave de Covid. (Um caso leve é efetivamente o resfriado comum.) Você não saberia disso em grande parte da discussão pública.

“Repetidamente, vejo declarações de que, em teoria, alguém pode ser infectado e espalhar o vírus mesmo depois de ser totalmente vacinado”, enfatizou a Dra. Rebecca Wurtz, da Universidade de Minnesota. “A mensagem ambígua está contribuindo para sentimentos ambivalentes sobre a vacinação? Sim, sem dúvida. ”

A mensagem, como disse o Dr. Abraar Karan, do Brigham and Women’s Hospital em Boston, tem uma qualidade “um tanto paternalista”. É como se muitos especialistas não confiassem nas pessoas para entender que as vacinas fazem uma enorme diferença e que há perguntas sem resposta.

Como resultado, as informações públicas erram para o lado do alarmismo: a vacina não é um passaporte para sair da Covid!

Em suas próprias vidas, especialistas médicos - e, novamente, agentes da mídia - tendem a ser clamados sobre as vacinas. Muitos estão recebendo injeções assim que lhes é oferecida. Eles estão incentivando seus familiares e amigos a fazerem o mesmo. Mas quando eles falam para um público nacional, eles transmitem uma mensagem que sai muito diferente. É dominado por conversas sobre riscos, incertezas, advertências e possíveis problemas. Alimenta a desinformação e a ansiedade anti-vacinas pré-existentes.

 

Não é à toa que as próprias comunidades de especialistas (desproporcionalmente brancas, de alta renda e liberais) são menos céticas em relação às vacinas do que as comunidades negras, latinas, da classe trabalhadora e conservadoras.

Nas próximas semanas, Governo de Biden aumentará o fornecimento de vacinas disponíveis. Um grande número de americanos deverá se recusar, entretanto, muitos sofrerão desnecessariamente. “Isso me deixa triste”, Grabowski comentou. “Nós criamos esta tecnologia incrível e podemos salvar muitas vidas.”

Qual deve ser a mensagem pública sobre as vacinas? “Eles estão seguros. Eles são altamente eficazes contra doenças graves. E as evidências emergentes sobre infecciosidade parecem realmente boas ”, recomendou a cientista. “Se você tem acesso a uma vacina e é elegível, você deve se vacinar.”

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Samuel Saraiva

Variante Delta: inimigo mutante e fatal

Variante Delta: inimigo mutante e fatal

A guerra mudou’ - Foi o título de elucidativa matéria elaborada por uma equipe de elite do The Washington Post: Yasmeen Abutaleb, responsável pela c

Extrema burrice propagar fake news

Extrema burrice propagar fake news

As redes sociais se tornaram uma impressionante ferramenta de desinformação, utilizada criminosamente por ignorantes, doutrinadores, oportunistas, fan

As belezas do Rock Creek Regional Park (Lake Needwood)

As belezas do Rock Creek Regional Park (Lake Needwood)

Rock Creek Regional Park (Lake Needwood) é um dos muitos parques disponíveis para os residentes do Condado de Montgomery County, localizado na Great á

Dropes da história: privatização do Banco do Brasil

Dropes da história: privatização do Banco do Brasil

Washington DC 13/08/2020 - Em 1991 (um anos antes de imigrar para os Estados Unidos) na condição de assessor parlamentar do então Deputado Federal Alb