Porto Velho (RO) segunda-feira, 15 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Vinício Carrilho

De quanta ciência é feita a guerra?


De quanta ciência é feita a guerra? - Gente de Opinião

História inacabada e repetida, eternizada entre farsas, mitos psicoativos, farsantes, tragédias, psicopatas e comediantes.

Centros médicos para feridos, penicilinas para estancar a morte.

Curadores especializados em amputar pedaços agora totalmente inúteis.

Engenharia eletrônica para teleguiados, os mísseis e os humanos robóticos.

Drones e aviónica dos "pássaros da guerra", verdadeiras águias cibernéticas.

Ciência econômica para a indústria da morte e da destruição, e de reconstrução do que for possível. Além dos bilionários, ainda mais bilionários, vendedores de armas.

Balística e miras laser indiferentes à falta de ética dos projetistas.

Químicos e suas alquimias explosivas, derretendo as carnes ou sugando o ar - ou estiolando em bilhas qualquer esconderijo da vida.

Drogas de todo tipo, sem contar as armas biológicas - proibidas pelos crimes de guerra, mas sempre na mira.

E outras fábulas, como a diplomacia e a arte de não falar nada, a ciência política e sua ignorância do homem bélico.

Filosofias do Mal.

Ideologias para além do Bem e do Mal.

Da eugenia ao racismo, obviamente, passando pelo estupro coletivo que dissemina e perpetua o DNA do colonizador.

Ciência Jurídica inovadora dos crimes de guerra, mas cuidadora do sagrado "Direito à guerra".

É assim que se faz a neutralidade axiológica (a inofensividade dos valores), totalmente insossa à claridade do bom senso.

Algoritmos dos algozes da felicidade de quem, no passado, vivia, mas que agora jaz num escombro qualquer.

E assim vamos da física aos apóstolos e apocalípticos do ego autocrático (infantil e/ou senil) e do capital.

O resto de nós é refugiado, sem refúgio no trauma que se avizinha.

- ou que já se instalou nos "corredores humanitários" vigiados por fuzis.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Vinício Carrilho

Ah...a Democracia que sempre tive

Ah...a Democracia que sempre tive

A Democracia é um campo de Girassóis, floresce com nosso olhar, reflete nosso cuidado ou contemplação. As flores são assim, o amor é assim. Não basta

Viva a Democracia!!

Viva a Democracia!!

Em 2016-17, o lema era "Fascistas não passarão!!". Com certeza havia uma lembrança da Guerra Civil Espanhola. Todos nós sabemos que os fascistas pass

Meus Pais

Meus Pais

Não quero lhe falar meu grande amor Das coisas que aprendi nos discosQuero lhe contar como eu vivi E tudo o que aconteceu comigo Viver é melhor q

Defesa ÓBVIA dos Direitos Humanos - é ululante, pesaroso, descrever o óbvio, mas é urgente

Defesa ÓBVIA dos Direitos Humanos - é ululante, pesaroso, descrever o óbvio, mas é urgente

FACULDADES INTEGRADAS DE JAHU Mantenedora: Fundação Educacional Doutor Raul Bauab  SEMANA JURÍDICA – 11.08.2022   Defesa ÓBVIA dos Direitos Humano