Porto Velho (RO) sábado, 6 de junho de 2020
×
Gente de Opinião

Polícia

Sindicância apura crimes de PMs contra jornalista Abelardo Jorge


A comandante-geral da Polícia Militar-PM de Rondônia, coronel Angelina Ramires, mandou instaurar uma “sindicância regular” para investigar os crimes de abuso de autoridade, coação e constrangimento ilegal, prisão ilegal e tratamento desumano e degradante praticados por PMs contra o bacharel, sociólogo e jornalista Abelardo Jorge, no início da madrugada do dia 12 de abril do corrente ano.

Conforme amplas denúncias divulgadas em jornais eletrônicos e impressos, o sociólogo foi preso, algemado e conduzido à Central da Polícia Civil-PC minutos após retornar do município Candeias do Jamari, onde estava acompanhado de um radialista e presidente da executiva municipal de um partido político.

Autor de dezenas de reportagens contendo denúncias contra ação de narcotraficantes que atuam nas proximidades da central da PC, Abelardo foi intimado a deixar de fazer anotações no momento em que PMs faziam abordagens e revistavam prostitutas na rua Miguel Chaquian. Não se intimidou e disse aos policiais: “a Constituição Federal garante aos brasileiros o direito de ir, vir e ficar”. Foi quando os PMs iniciaram práticas delituosas continuadas na central da PC.

Abelardo foi impedido de dar telefonemas e de receber assistência de advogado e parentes. Portador de diploma de nível superior foi trancado numa cela da central PC até às 8 horas do dia 12/04/2006. “Fui vítima de abuso de autoridade, ameaças até de flagrante forjado e fui submetido a intenso sofrimento físico e mental mesmo depois entregar aos PMs documentos pessoais, credenciais e cópia autenticada do diploma de bacharel”, resumiu Abelardo.

Fonte: Abelardo Jorge

Mais Sobre Polícia