Porto Velho (RO) quarta-feira, 2 de dezembro de 2020
×
Gente de Opinião

Polícia

Falso advogado dá golpe em mais de 200 pessoas




Exatas 203 pessoas já buscaram a Delegacia Especial da Cidade Operária para denunciar um homem que se passava por advogado usando três registros falsos. Ele usava dois nomes: Júlio César Sarmento (OAB de São Paulo 14.668) e Júlio César Santana (OAB Maranhão 12.359) – ambos registros fictícios.

O golpista foi descoberto em dezembro passado. Ele fugiu e até hoje a polícia não o encontrou.Quando começou a dar os golpes, ele se instalou no São Francisco. Tinha, inclusive, uma secretária. Atendia pendências judiciais normalmente. Após algum tempo, abandonou o escritório e fugiu. Mudou-se para o Jardim América. Ficava na Avenida Principal.

O falso advogado atendia muitos moradores do bairro. Com alguns, inclusive, construiu relação de amizade. Ele chegou a ter 31 processos em seu nome na comarca de São Luís. Tinha trânsito em vários órgãos do judiciário e chegou a acompanhar “clientes” em audiências nas Varas dos Fóruns Judiciais de capital, São José de Ribamar e Paço do Lumiar, na Delegacia da Cidade Operária e no 6º Batalhão da Polícia Militar. Num dos casos, apresentou-se como advogado e capitão reformado do Exército Brasileiro. Dentro do batalhão, chegou a prestar continência a um comandante.

O Delegado Ednaldo Santos, titular da Delegacia Especial da Cidade Operária, encontra dificuldade em investigar o caso. A polícia quer pedir a prisão preventiva do acusado. Mas, apesar das dezenas de denúncias, ninguém sabe o verdadeiro nome dele. Caso seja preso, ele responderá pelos crimes de falsidade ideológica, estelionato e responsabilidade pessoal.

Funcionários também enganados

A reportagem conversou com um estudante de direito que trabalha com o golpista na época. E também com Suely Campos, uma de suas secretárias. Emerson Diego Ferreira conta que “Júlio César” agia com desenvoltura em fóruns e chegou a ganhar muitas causas. Diego também sofreu um golpe. Ele pegou quatro livros de direito na faculdade e emprestou para o chefe.

O falsário fugiu com os livros. Diego ficou com a dívida. Suely também conviveu de perto com Júlio César. Ela começou distribuindo panfletos sobre o escritório do falso advogado. Depois tornou-se secretária. Ganhava R$ 600 por mês. Mas só recebeu o primeiro salário. Em 7 de dezembro ele fugiu e ela nunca mais o viu. “Ninguém desconfiava de suas mentiras porque ele tinha muito acesso nos tribunais”, afirmou.

Principais golpes

Atuou num crime de homicídio. A vítima era o presidente da Colônia de Pescadores de São Bento José Carlos Arouche Soares, morto a tiros no dia 7 de setembro de 2003, em São Bento. O golpista atuou como advogado de defesa dos três acusados. Durante o processo, chegou a ganha R$ 60 mil de honorários. - O “Doutor Júlio César” é comunicativo, tem um grande poder de persuasão e faz amizades com muita facilidade. Num desses casos convenceu um cliente a comprar um carro para que o estelionatário usasse. O golpista prometeu pagar as prestações. Quando seus golpes foram descobertos, ele fugiu usando o carro.

Fonte: O Imparcial
 

Mais Sobre Polícia

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

O 5º Batalhão de Polícia Militar de Rondônia (5º BPM – Batalhão Belmont) realiza, nesta sexta-feira (23), às 19h, a formatura militar alusiva ao seu

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Na manha de hoje (21), a Polícia Rodoviária Federal participou da Operação Arinna, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime O