Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Supersimples: 2014 inaugura novo tempo para advogados


Por Andrey Cavalcante

O ano de 2015 começa com uma nova dinâmica de atuação para os advogados brasileiros. O Supersimples permitirá o acesso à formalidade a milhares de advogados em todo o país, com o estabelecimento de novos escritórios. Apenas 5% dos mais de 820 mil profissionais brasileiros integram alguma banca. A perspectiva é que esse número sextuplique em um período de cinco anos, passando dos atuais 20 mil para 126 mil.

A boa notícia deve, obrigatoriamente, ser dividida com a população, pois que o acesso à justiça será enormemente fortalecido. O cidadão que tem hoje uma pequena demanda pode se sentir desestimulado a procurar escritórios consolidados por inibição, timidez ou falta de informação. Até o tamanho do escritório contribui para afastá-lo: muito grande para as dimensões de sua causa. Um pequeno escritório pode romper essa barreira. O cidadão vai se sentir encorajado a buscar o reparo judicial a um direito que julga lhe ter sido tolhido.

Tive a honra de participar efetivamente do encaminhamento da Lei Complementar nº 174/2014, que inclui definitivamente as atividades profissionais do advogado no Supersimples Nacional até à sanção presidencial.   Tenho o dever de louvar o empenho -  e mais uma vez agradecer por isso, em nome de toda a classe dos advogados - do senador Valdir Raupp, presidente do PMDB, que prontamente nos conduziu a uma audiência com o vice-presidente da república, Michel Temer, constitucionalista nacionalmente reconhecido. E foi Temer quem solicitou e obteve da presidente Dilma Rousseff a sanção da lei, o que veio a ocorrer formalmente no dia 14 de agosto, data para ser registrada na História.

A lei favorece enormemente os advogados, especialmente aqueles em início de carreira. Ela assegura para o País, conforme asseverou, em seu discurso na solenidade de assinatura, o presidente do Conselho Nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coelho, “ganhos efetivos em eficiência, justiça, racionalidade, incentivo ao crescimento e, sobretudo em justiça social, com a valorização da capacidade de trabalho e de iniciativa do brasileiro”. É, segundo ele, “sem dúvida, a maior conquista da advocacia nos últimos 20 anos”.

Tal entusiasmo, do qual compartilho, é plenamente justificável. Não há como desconsiderar o imenso estímulo que recebem os advogados, especialmente aqueles que iniciam a carreira. O escritório formal, com faturamento anual de R$ 180 mil pode passar a recolher 4,5% de impostos, além de se livrar de toda a burocracia atual. Um faturamento anual de R$ 180 mil significa R$ 15 mil mensais. Retirando-se o Supersimples (4,5%) restam R$ 14.325,00. Um servidor público, por exemplo, que receba mensalmente o mesmo valor deixa, na fonte, pelo menos 11% de INSS mais 27,5% de Imposto de renda.  Com isso, seu salário líquido fica reduzido a R$ 9.225,00. O mesmo vale para o advogado que trabalha na informalidade, como pessoa física. A diferença (R$ 5.775,00) dá para pagar os 4,5% do Supersimples, aluguel do escritório, salário de secretária, contador, estagiário e gastos com energia, telefone e cafezinho. E ainda sobra dinheiro.

Pretendo demonstrar, com o comparativo, que a instalação de um escritório pode ser uma excelente opção para os novos advogados, muitos dos quais imaginam começar a vida profissional estudando para concursos públicos.  Por tudo isso, o ano de 2015 começa, sem risco de exagero, com vida nova para os advogados.

*Andrey Cavalcante é presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia (OAB/RO).


Fonte: Eficaz

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual