Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Eleição para emancipar Extrema corre o risco de se transformar num Referendo



A consulta plebiscitária para emanancipação do distrito de Extrema, na divisa de Rondônia com Acre, acontece no próximo domingo (28) e vai precisar de um apoio maior na divulgação dos parlamentares cuja base eleitoral está concentrada no município de Porto Velho.

É que a consulta plebiscitária, coordenada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) é obrigatória, mas muitos eleitores poderão deixar de ir às urnas, a exemplo do que aconteceu na eleição de 2005 quando aconteceu o Referendo para saber se o comércio de armas de fogo e munição deveria ser proibido no Brasil.

De acordo com dados do TRE, somente na região de Porto Velho 50.357 eleitores deixaram de ir às urnas no dia 23 de outubro de 2005. Do eleitorado da época (227.890), somente 177.533 (77,90%) votaram favorável pela proibição do comércio de armas de fogo e munição.

A região definida como Ponta do Abunã é formada pelos distritos de Extrema, Nova Califórnia, Vista Alegre do Abunã e Fortaleza do Abunã. O eleitor que não votar no próximo domingo terá o título suspenso e não poderá votar nas eleições de outubro para eleger os novos representantes de Rondônia no Governo, Senado Federal, Câmara Federal e Assembleia Legislativa.

Fonte: Blog do Marcelinho

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual