Porto Velho (RO) sábado, 17 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Diz Persivo comenta: O PAÍS DO FUTURO.....ULTRAPASSADO


  
O Brasil já foi o país do futuro. O futuro, porém, está sempre colado à infância e à juventude. Não é mais o nosso caso. No presente o Brasil e o planeta estão cada vez mais velhos. Se estima que, em 2050, serão mais de 2 bilhões de idosos. No Brasil já existem 14,5 milhões (cerca de 9% da população) e se calcula que, em 2020, chegaremos a ter 13%, algo como 30 milhões de idosos. É um futuro difícil. É caro e complicado fazer com que os idosos permaneçam saudáveis e úteis e no nosso país não se respeita idade nem experiência nem serviços prestados no passado. Está aí a cobrança absurda de impostos sobre os aposentados. Está aí o esbulho público da Previdência que retira renda sistemática e cruelmente dos que tem aposentadorias jogando-os para um futuro cada vez mais difícil. Embora existam muitos idosos que acabam sustentando a família (até mesmo com os magros proventos do trabalho ou da aposentadoria) a triste verdade é que não se cuida do idoso no nosso país. É como bagaço de cana que depois de chupado somente serve para ser jogado fora ou queimado. Escrevo isto triste depois de ouvir um idoso se queixando do quanto trabalhou e do quanto o país foi injusto com ele. Que me confessou: foi adepto fervoroso de Lulla da Silva e, hoje, se sente enganado. Um dia, por mais que custe, as pessoas acordam, mas, o problema é que somos transitórios e o futuro pode estar no passado.

Fonte: Jornal Diz Persivo

Mais Sobre Opinião

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual

Vagalumes nas trevas

Vagalumes nas trevas

Mas as trevas não são absolutas: há estrelas, há vagalumes, há réstias de luz