Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Brasil 'escolhe' Chile nas oitavas


 Brasil 'escolhe' Chile nas oitavas - Gente de Opinião

Professor Nazareno*

A seleção brasileira de futebol ganhou por 4 X 1 da fraca equipe de Camarões jogando pela última rodada da primeira fase da Copa do Mundo. Com a vitória do México sobre a Croácia por 3 X 1, alguns jogos seguintes da competição ficaram assim: o Brasil, que ficou em primeiro lugar na sua chave, apenas no saldo de gols, enfrentará o Chile enquanto os mexicanos, que ficaram em segundo na mesma chave, encaram a poderosa Holanda de Robben e Van Persie. Estranhamente beneficiado com o horário do jogo marcado pela FIFA, os brasileiros se deram o luxo de praticamente escolher o seu próximo adversário. De fato: os jogos da decisão do Grupo B, do qual faziam parte Holanda e Chile, foram realizados antes dos jogos do Grupo A, o do Brasil. Resultado: jogamos já sabendo com quem seria o nosso próximo jogo. A FIFA dando um jeitinho?

Visivelmente beneficiado por esta atípica decisão do órgão máximo do futebol pela primeira vez em uma Copa do Mundo, o time canarinho não tomou conhecimento da frágil, desmotivada, desorganizada, desinteressada e já eliminada seleção africana. Antes derrotada por México e Croácia, o outrora valente e combativo time da República dos Camarões foi também um fiasco diante dos anfitriões. Para impressionar, chegaram até a empatar ainda no primeiro tempo e depois praticamente entregaram o resultado aos brasileiros, mas não se pode dizer que os camaroneses “venderam” a partida: nem no Brasil e provavelmente nem naquele país da África existirá uma só pessoa que possa praticar tal ato de corrupção e deslealdade. Os “Leões Indomáveis” só mostraram alguma resistência durante o primeiro tempo do jogo. Depois, levaram um passeio.

Escolher um adversário tecnicamente mais fraco numa partida que já será decisiva foi uma “jogada de mestre” da FIFA e das autoridades esportivas do Brasil, pois não só levanta o ânimo de qualquer equipe fraca como a nossa como também pode criar embaraços para um dos mais sérios concorrentes ao título: os holandeses podem ser atropelados pelos mexicanos, agora embalados. No futebol, o Brasil pode até ganhar da boa equipe chilena. Porém, perdemos feio em vários indicadores sociais. O Chile já ganhou duas vezes o Prêmio Nobel, tem um modelo de educação bastante eficiente que desbanca o do Brasil, além de um sistema público de saúde invejável se comparado ao nosso. O IDH dos chilenos está entre os 40 melhores do mundo. E como se não bastasse, e diferente de nós, os seus ditadores já prestaram contas com a nação.

Como a Copa do Mundo só “começa pra valer” a partir das oitavas de final, a seleção brasileira precisa dizer a que veio e finalmente convencer os fanáticos torcedores com um bom e eficiente futebol, pois até agora praticamente só pegamos “galinha morta” e times medianos. França, Holanda, Argentina, a surpresa Costa Rica e mesmo o Chile, dentre muitas outras boas equipes desta competição, são excelentes oportunidades para se mostrar que se pode ganhar sem a ajuda de juízes e nem da FIFA. A “lavada em campo” que o Brasil deu nos coitados jogadores de Camarões deve ter servido para que pudéssemos esquecer um pouco mais as nossas mazelas. O povão continua comemorando feliz e alegre como nunca, só que ninguém sabe até quando. E se assim continuar, o PT e os “companheiros” marcam mais um ponto rumo à perpetuação no poder.  Alerta: até agora ainda não se ganhou absolutamente nada.

*É Professor em Porto Velho.

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual