Porto Velho (RO) domingo, 29 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Opinião

Artigo: DESTINO MATERIAL


 

 O cadáver gradualmente esmorece e empalidece, exala um cheiro que espanta até assombração, expõe as tripas e exibe o esqueleto depois de um tempo embaixo da terra. O destino é certo: todos cheiraremos mal e os vermes roerão as entranhas de nossos corpos até não sobrar nada. Pode-se atenuar este destino com a alternativa da cremação ou a tumba de mármore, respectivamente, uma pulverização imediata da carne e o último ato de vaidade.

A natureza obedece a ciclos. É nosso destino material apodrecer e cheirar mal. Tracemos um rumo melhor para o destino espiritual.
 
Tenho o intuito de parabenizar a atuação da nossa Polícia Federal e reconhecer que está em suas mãos o combate ao crime organizado e o grande salto para o fim da corrupção envolvendo o Estado brasileiro. É uma instituição das mais confiáveis e das que mais têm lutado pela conquista e preservação do Estado democrático de direito, sem o qual não se imagina uma sociedade coesa, harmônica e justa. O desrespeito à lei é um costume que, aos poucos, tem perdido espaço.
 
O Departamento de Polícia Federal está vinculado ao Ministério de Justiça. A sua principal função é assegurar a ordem pública, sobretudo lidando com assuntos que envolvem a União. Entre suas atribuições principais, a instituição combate infrações contra bens, interesses e serviços do Brasil, previne e reprime o tráfico de drogas e entorpecentes, atua no policiamento aeroportuário, fronteiriço e marítimo, emite passaportes e cuida de questões migratórias.
 
A operação Satiagraha demonstra que o país já não tolera mais a pilhagem do patrimônio petencente ao povo brasileiro e outras ações criminosas que desmoronam o conceito da nação, compram pessoas influentes e terminam impunes. Os argumentos contrários ao tratamento da Polícia Federal são pífios, uma vez que pobre e favelado sempre foi atirado contra a parede e humilhado por roubar bolacha em supermercado, enquanto os advogados de usurpadores milhonários conseguem tirá-los da cadeia alegando ainda que as algemas estavam apertadas demais.
 
A batalha contra os grandes corsários está longe do fim, pois, no Brasil, a corrupção começa pelos muitos pequenos intermediários, que têm influência, poder econômico ou contato político. Contudo, o passo inicial já foi dado, que é a insatisfação geral e o êxito das operações da Polícia Federal. Parecem piadas as críticas a esta instituição de abuso ao prender preventiva e temporariamente pessoas com indícios criminosos suficientes, e as outras especulações incabíveis e mal informadas que surgem, como a de quebra de privacidade.
 
A Polícia Federal mantém declaradamente sigilo de suas operações, que só pode ser quebrado por vazamento de outros meios, e recorre ao uso de grampos telefônicos para conduzir investigações somente quando necessário. Até aí, são ações idôneas, sem as quais seria difícil concluir um caso. A operação Satiagraha deu o que falar, gerou uma série de avanços, para uns, e equívocos, para outros. Algo está sendo feito no combate à criminalidade.
 
Cheiro de defunto é repugnante. Esses elementos que desviam dinheiro público deixam apodrecer também a alma. Dinheiro que poderia ser usado pelo governo para formar milhões de cidadãos e salvar vidas. O sarcófago poderá feder tanto, que ninguém terá coragem nem de participar da cerimônia fúnebre. Enquanto isso, a ambição, a hipocrisia e o conflito de poder entre instituições arranham a nossa democracia. Ainda assim, há os que, como a Polícia Federal, cortam-lhes as unhas.

Fonte: Bruno Peron Loureiro é latino-americanista.

Mais Sobre Opinião

A cidade foi a grande ausente no debate

A cidade foi a grande ausente no debate

Se o Ibope estiver certo em sua aferição, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) vai permanecer por mais quatro anos no comando do município de Porto Velho

Hildon Chaves deverá vencer as eleições muito facilmente, se a Cristiane não se reposicionar junto aos eleitores

Hildon Chaves deverá vencer as eleições muito facilmente, se a Cristiane não se reposicionar junto aos eleitores

Até o momento, ao que tudo indica, parece que a definição sobre quem será o próximo prefeito ou prefeita de Porto Velho é “favas contadas”. O atual

Respeito a decisão do Vinícius, mas não concordo

Respeito a decisão do Vinícius, mas não concordo

Recebi de um amigo um vídeo em que o candidato à prefeitura de Porto Velho, Vinicius Miguel - em quem votei no primeiro turno da eleição de domingo (1

Os náufragos de 2020

Os náufragos de 2020

Não foi apenas o presidente Jair Bolsonaro que saiu perdendo nas eleições municipais de 2020. A esquerda foi massacrada nas urnas. Exemplo disso é o