Porto Velho (RO) sexta-feira, 17 de setembro de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

Amorim quer barrar estrangeiros na exploração de minérios dos índios


 
O deputado federal Ernandes Amorim (PTB) quer assegurar que apenas empresas ou cooperativas de capital, sede, e pessoa jurídica brasileiras, possam participar da exploração mineral em terras indígenas.

Passo importante nesse sentido foi dado por ele ao apresentar cinco emendas – uma supressiva e quatro modificativas – à Comissão Especial da Câmara dos Deputados destinada a dar parecer ao projeto de lei (1610/96), do Senado Federal, que dispõe sobre a exploração e o aproveitamento de recursos minerais em terras indígenas.

As emendas, segundo ele, visam resguardar ainda mais a soberania nacional em tempos de pressões de organismos estrangeiros e de ambientalistas ligados a estes, em defesa da internacionalização da Amazônia.

“A descoberta de novos campos petrolíferos vem demonstrar que o Brasil ainda é negligente no gerenciamento de seus recursos, não tendo nem mesmo a noção correta de suas riquezas naturais. Assim, é preciso restringir, por motivo de segurança nacional, o acesso de empresas estrangeiras à mineração, especialmente em terras indígenas. É necessário que as empresas interessadas em pesquisa e lavra de recursos minerais estejam sob o controle de brasileiros”, afirma o parlamentar.

No projeto em análise, Amorim também quer assegurar os direitos de receita aos índios, provenientes da exploração, com a criação de um fundo, a ser administrado por organização indígena, auxiliada por conselho gestor formado por um membro do Ministério Público Federal, da Funai, lideranças índias e outras representações governamentais.
“A intenção é zelar para que os recursos auferidos com pesquisa e lavra de exploração mineral em terras indígenas sejam revertidos em prol de toda a comunidade. Sabe-se da existência de má administração e interesses duvidosos envolvendo alguns membros da Funai, bem como líderes indígenas, que usufruem de recursos financeiros, enquanto o resto da comunidade passa fome e não tem acesso a serviços elementares de saúde”. Amorim afirma ainda que para efeito da aplicação desses novos artigos, a comunidade indígena a ser beneficiada, deve ter constituição jurídica.

Fonte: Yodon Guedes

 

Mais Sobre Municípios

Inscrições em conferência sobre urbanização e envelhecimento saudável seguem abertas até sábado

Inscrições em conferência sobre urbanização e envelhecimento saudável seguem abertas até sábado

A Conferência Livre PVH50+, promovida por iniciativa do Centro de Estudos e Pesquisas de Direito e Justiça, selecionada pelo Ministério do Desenvolvi

Sine Municipal de Porto Velho realiza cadastro de jovens na Associação Luz do Alvorecer

Sine Municipal de Porto Velho realiza cadastro de jovens na Associação Luz do Alvorecer

Com o propósito de fazer o cadastro de jovens aprendizes para encaminhá-los ao primeiro emprego por meio da Intermediação de Mão de Obra (IMO), equipe

Empenhado: Buritis recebe R$ 800 mil para iluminação em LED, ciclofaixa e fabricação de bloquetes

Empenhado: Buritis recebe R$ 800 mil para iluminação em LED, ciclofaixa e fabricação de bloquetes

O presidente Alex Redano (Republicanos) confirmou a destinação de R$ 800 mil em recursos para Buritis, assegurados através de seu mandato junto ao G

População se revolta e coloca fogo em ponte de madeira de União Bandeirantes

População se revolta e coloca fogo em ponte de madeira de União Bandeirantes

Uma ponte de madeira que permitia a travessia no distrito de União Bandeirantes o rio, foi parcialmente reduzida a cinzas, na madrugada desta segund