Porto Velho (RO) domingo, 5 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Terremotos: Irã aceitará ajuda internacional


Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília – Pela primeira vez desde que ocorreram os terremotos no Irã, há três dias, o governo iraniano informou hoje (14) que aceitará ajuda estrangeira para socorrer as vítimas dos tremores de terra na região da província do Azerbaijão. O primeiro-vice-presidente da República iraniano, Mohammad-Reza Rahimi, disse que o Irã está pronto para “receber contribuições de diferentes países”.

Pelo menos 306 pessoas morreram, mais de 4,5 mil ficaram feridas e cerca de 300 mil foram afetadas pelos efeitos dos tremores de terra, do último dia 11. A parte oriental do Irã foi atingida por terremotos de 6,4 graus e 6,3 graus de magnitude na escala Richter.

"O nosso país em diversas ocasiões prestou socorro às vítimas de desastres naturais em diferentes países”, disse o primeiro-vice-presidente da República. “Agora estamos prontos para receber as contribuições de diferentes países às vítimas do terremoto em Ahar, Varzaqan e Haris."

As regiões de Ahar, Varzaqan e Haris reúnem aldeias com muitas famílias, destacou Rahimi. Só em Varzaqan, 12 aldeias ficaram totalmente destruídas e 60, parcialmente. Nos últimos dias, aumentou o número de países prestando apoio e solidariedade aos iranianos, além do oferecimento de ajuda.

O Brasil, a Venezuela, a Bolívia, a Equador e a Nicarágua enviaram mensagens de apoio ao Irã, assim como a Turquia, o Paquistão, a Rússia, a Síria, o Japão, a Alemanha, a Suíça e os Estados Unidos, além do papa Bento XVI.


*Com informações da agência pública de notícias do Irã, Irna // Edição: Juliana Andrade

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia