Porto Velho (RO) sexta-feira, 19 de agosto de 2022
..
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Políticos brasileiros lamentam morte de Mercedes Sosa e ressaltam legado de luta


 
Marco Antonio Soalheiro
Agência Brasil
 

Brasília - A morte da cantora argentina Mercedes Sosa, aos 74 anos, em decorrência de uma disfunção renal que afetou também o coração e os pulmões, foi recebida com pesar por políticos brasileiros que admiravam o engajamento da artista, militante ativa contra a ditadura militar argentina nos anos 70 e 80.

Em mais de cinco décadas de trajetória profissional, Mercedes, conhecida como “La Negra”, consolidou-se como uma das mais importante vozes de protesto da América Latina. Na década de 70, censurada e perseguida, seus discos carregados de conteúdo social se transformaram em referência contra o regime militar.

“Fiquei muito triste com a notícia da morte dela. Foi uma lutadora pelos direitos humanos, pela democracia e símbolo de uma geração de presos políticos muito sofrida”, afirmou o deputado federal José Genoíno (PT-SP), ex-preso político durante a ditadura militar brasileira.

Segundo Genoíno, Mercedes também simbolizava, com o seu discurso e sua defesa de bandeiras de sobrevivência, “o ideal de integração do continente que hoje está virando realidade”. O parlamentar ressaltou que a cantora “deixa um legado forte para o continente no que diz respeito à integração e à luta pela democracia.”

O senador Eduardo Suplicy (PT- SP) lembrou que nas visitas da cantora ao Brasil, as músicas dela despertavam enorme interesse. Mercedes também interagiu com grandes artistas nacionais como Milton Nascimento e Caetano Veloso. Uma das canções da argentina, “Gracias a la Vida”, marcou o parlamentar.

“Ela [Mercedes] teve uma importância muito grande como cantora e compositora que mais expressou os sentimentos de liberdade, justiça e confraternização dos povos latino-americanos” disse Suplicy. “Ela recebe uma justa homenagem de todo o povo argentino”, acrescentou.

O corpo da cantora está sendo velado desde o meio-dia em um salão do Congresso Nacional argentino. A morte de Mercedes mobilizou o país e shows dela estão sendo transmitidos por praticamente todos os canais de televisão. Suas gravações de músicas folclóricas e populares fizeram sucesso pelo mundo.

A família de “La Negra” informou que o corpo da cantora será cremado e suas cinzas serão espalhadas em sua cidade natal, Tucumán, em Mendoza e na capital argentina, Buenos Aires.

VOCÊ PODE GOSTAR

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe