Porto Velho (RO) terça-feira, 7 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Haiti: três anos depois – 'Enquanto há vida, há esperança'


Haiti: três anos depois – 'Enquanto há vida, há esperança' - Gente de Opinião

Os haitianos nunca vão esquecer o dia 12 de janeiro de 2010. Este foi o dia que um terremoto devastador matou milhares de pessoas. Aldeias, vilas e cidades inteiras foram devastadas em todo país.

O terremoto de 7 graus de magnitude matou 300 mil pessoas e deixou outras milhares de centenas feridas. Escolas, hospitais, o palácio do presidente se tornaram ruínas e a vida, bem como os meios de sustento da população, foram destruídos.

A Cáritas estava no Haiti antes e durante o terremoto e tem seguido lá desde então. Sua equipe de campo viveu, lado a lado, com as comunidades sob o trauma de ver ruas inteiras destruídas e não saber se os membros daquelas famílias estavam vivos ou mortos. A Cáritas esteve lá por meses após o desastre, quando era difícil encontrar comida e água. A Cáritas também estava lá quando o Haiti, que já estava se levantando, enfrentou outras tragédias como furacões e a cólera que levou mais de 7 mil vidas.

Os haitianos demonstraram coragem, engenho e força para reconstruir suas vidas entre tanta devastação e sofrimento. Quando tudo parecia perdido, os haitianos foram exemplos vivos do ditado: “enquanto há vida, há esperança.”

Fonte: Cáritas

 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia