Porto Velho (RO) sábado, 4 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Grécia diz que não vai pagar ao FMI dívida de 1,6 bi de euros



Da Agência Lusa

O ministro do Interior grego, Nikos Vutsis, disse ontem (24) que a Grécia não será capaz de pagar ao Fundo Monetário Internacional (FMI) o empréstimo de 1,6 bilhão de euros que vence em junho.

A Grécia tinha concordado em pagar o empréstimo em quatro parcelas de 1,6 bilhão de euros no período de 5 a 19 de junho mas, segundo Vutsis, “este dinheiro não será pago, porque não há". "Isso é conhecido e discutido com base num otimismo cauteloso de que haverá acordo que permita ao país respirar", disse.

Em entrevista a uma canal de televisão, o ministro reconheceu que existem divergências sobre algumas questões e que, por isso, neste momento não será possível chegar a um acordo. No entanto, fez a ressalva de que a existência de um pacto irá "incentivar o país".

Vutsis disse, ainda, que o calendário das negociações poderá se estender até o final de junho ou início de julho. Ainda de acordo com o canal de televisão Mega, o primeiro-ministro Alexis Tsipras informou ao secretário do Tesouro americano, Jack Lew, a incapacidade do governo de lidar com os pagamentos ao FMI que vencem em junho.

No final de fevereiro, os parceiros da zona do euro concordaram com a Grécia em estender até junho o segundo resgate para chegar a um acordo sobre as reformas que o país deve fazer para poder continuar a receber financiamento. A oposição a cortes nos salários e pensões, a liberalização total do mercado de trabalho e a reforma tributária são alguns dos temas que geram desacordo com a Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI.

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia