Porto Velho (RO) sexta-feira, 12 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Governo discute integração com a Bolívia através da fronteira


O encontro dos representantes do Sindicato dos Engenheiros de Rondônia (Senge-RO) que integram a Comissão do Consórcio Binacional para Integral e Desenvolvimento Sustentável (CBIDS) com o governador Confúcio Moura na tarde desta terça-feira (16) no Departamento de Estradas de Rodagens e Transportes (DER) debateu as questões de integração e acordos entre o Brasil e Bolívia direcionadas a faixa de fronteira com o Estado de Rondônia e Beni. Dentre os assuntos estiveram à construção do Hospital Internacional com sede na cidade de Guayaramerim, a ponte Bi-nacional e a construção das hidrelétricas de Ribeirão e Cachoeira Esperança (BO).

O presidente da Bolívia, Evo Morales, já assinalou com a quantia de US$ 18 milhões para a construção do hospital. Em contrapartida espera que o governo do Brasil disponibilize a estrutura, com a aquisição de equipamentos para a instituição.

Mas por se tratar de um assunto entre nações, Confúcio lembrou aos presentes da importância do assunto chegar à presidenta da República, Dilma Rousseff. “Cabe a ela essas decisões. De minha parte o apoio já está firmado, assim como a nossa bancada em Brasília”, afirmou o governador

De acordo com o presidente do Senge, Jorge Luiz, o objetivo do CBIDS é a integração sociocultural, econômica e tecnológica entre os povos fronteiriços. “Queremos fortalecer, por meio das entidades do sistema o CBIDS, levando assim a melhoria de qualidade de vida para essas populações”, informa

A ponte internacional que concluída ligará as cidades brasileiras de Guajará-Mirim e Guayaramerim na fronteira também foi destaque pela comissão ao chefe de Estado. A ponte faz parte de um acordo de compromisso do Brasil documentado em 1903 no Tratado de Petrópolis, no qual o país se comprometia entre outras coisas, a unir por meio de uma ponte ao Estado Plurinacional da Bolívia ao Brasil.

Em agosto de 2008, durante encontro na cidade Riberalta (BO), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em conversa com Evo Morales, destacou que o Brasil está disponível a fazer com que a obra saia o quanto antes do papel, o mesmo comprometimento informado pela atual presidenta.

Mas o projeto apresentado em 2010, de acordo com o Confúcio Moura, teve que ser refeito. É que a presidenta Dilma Rousseff não aprovou valor orçado para a construção, que girava em torno de R$ 400 milhões. Até o final deste semestre outro documento deve ser divulgado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) que logo seguirá para licitação.

Na pauta dos dirigentes do CBIDS também esteve a Construção das Hidrelétricas de Ribeirão e Cachoeira Esperança, um vilarejo boliviano situado a 40 km da cidade de Guyarameriam, no Estado do Beni, divisa com Rondônia.

Um dos benefícios com a construção das usinas “é o aproveitamento hídrico, com as eclusas que ligarão, por meio fluvial, a capital de Rondônia a cidade de Guajará-Mirim”, afirma os representantes

Participaram do encontro, o prefeito eleito de Nova Mamoré, Laerte Queiroz, o secretário de Planejamento de Guajará-Mirim, Sidney Dias da Silva, o representante da Bolívia, Alex Vargas.

Fonte:: Emerson Barbosa - Decom

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe