Porto Velho (RO) sexta-feira, 10 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Estados Unidos atuam para evitar conflito armado entre Israel e Irã


Renata Giraldi*
Agência Brasil

Brasília - O chefe das Forças Armadas dos Estados Unidos, general Martin Dempsey, atua para demover o governo de Israel da ideia de atacar o Irã. Para os israelenses, os iranianos ameaçam a segurança internacional devido ao programa nuclear desenvolvido por eles e que é suspeito de esconder a produção de armas.

Segundo o general, uma ação militar no momento atual é "desestabilizadora". Em visita a Tel Aviv, capital israelense, o militar conversa sobre o assunto com as autoridades locais. "Neste momento, seria imprudente atacar o Irã", disse Dempsey. Também está em Israel o conselheiro norte-americano da área de segurança, Tom Donilon.

Donilon se reúne com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. A ideia é sugerir a Israel que suspenda temporariamente a intenção de impor mais sanções ao Irã. Os iranianos são alvos de restrições econômicas, financeiras, bancárias e militares de forma intensa desde 2010.

"Acreditamos que o Irã vai se comportar de forma [mais] racional", disse o general Dempsey. "Também sabemos ou pensamos que sabemos que o regime iraniano ainda não tomou qualquer decisão [sobre a produção de armas]”, acrescentou.

Nesta semana, o ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, apelou para que a comunidade internacional intensifique a segurança e a vigilância sobre o Irã. A reação dele ocorre no momento em que as autoridades iranianas anunciaram a suspensão da venda de petróleo para o Reino Unido e a França.

*Com informações da agência pública da Argentina, Telam//Edição: Graça Adjuto
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia