Porto Velho (RO) quarta-feira, 8 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Brasil quer conselho de defesa sul-americano até fim do ano, diz Jobim



O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta sexta-feira, em Washington, que acredita que a proposta brasileira de criar um Conselho Sul-Americano de Defesa será implantada até o final deste ano.




Jobim fará a partir do dia 14 de abril um giro pela América Latina para discutir a criação do órgão com os diferentes países da região.

As discussões do ministro terão início na Venezuela, onde ele irá se encontrar com o presidente Hugo Chávez.

Em seguida, ele irá para Suriname, Guiana, Colômbia, Peru, Equador, Bolívia, Chile, Paraguai, Argentina e Uruguai.

Jobim disse na sede do instituto de pesquisas Center for Strategic and International Studies (CSIS) que a proposta brasileira de criar o conselho visa criar políticas comuns de defesa, intercâmbio de pessoal, participação conjunta em operações de paz da ONU e a possibilidade de ação coordenada em ameaças enfrentadas pelos diferentes países.

O ministro da Defesa se encontrou nesta sexta-feira com a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, e na quinta, como o secretário de Defesa, Robert Gates. Ele contou que os dois se entusiasmaram com a proposta brasileira.

'Grande agrado'

Jobim qualificou a conversa com Rice como ''ótima''. E, durante o encontro com a secretária, ele manifestou ''a posição brasileira sobre as questões da América do Sul, mostrando que temos condições de resolver as nossas questões''.

Segundo o ministro, Rice considerou ''extraordinariamente interessante a iniciativa, viu com grande agrado''.

A recente operação militar da Colômbia em território equatoriano também foi um dos temas do encontro.

Ele disse ter expressado a ''posição brasileira de que não admitiríamos, sob hipótese alguma, a invasão de território''.

Contribuição dos EUA

Jobim contou que o secretário Robert Gates teria indagado se os Estados Unidos poderiam contribuir com o conselho de defesa, mas respondeu que ''por enquanto, a colaboração que os senhores podem fazer neste momento é ficar à distância'', já que o órgão diz respeito apenas às nações sul-americanas.

Indagado se os Estados Unidos manifestaram qualquer reserva ao fato de a Venezuela ter um papel no conselho, o ministro comentou que não, mesmo porque ''não têm nenhum direito de fazê-lo, uma vez que não diz respeito a eles''.

Em resposta a uma pergunta se a proposta brasileira não entraria em choque com o projeto do líder venezuelano, Hugo Chávez, de criar um órgão de defesa com as nações que integram a Alba (Alternativa Bolivariana para as Américas), Jobim afirmou que ''o presidente Chávez tem interesse na criação do conselho''.

 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia