Porto Velho (RO) segunda-feira, 15 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Bolívia já contabiliza 48 mortes em decorrência das chuvas


Agência Lusa* 

La Paz (Bolívia) - Relatório divulgado hoje (4) pelo Ministério da Defesa informa que o número de mortos no país devido às chuvas causadas pelo fenômeno climático La Niña já é de 48. E que cerca de 33 mil famílias estão desalojadas. Quatro pessoas estão desaparecidas devido à subida do nível dos rios.

As chuvas começaram em novembro passado e afetaram os nove departamentos (estados) do país. Segundo o relatório, um terço das famílias afetadas está na região oriental de Santa Cruz, a mais extensa da Bolívia, e também em Cochabamba, na região central.

O vice-ministro da Defesa Civil, Hérnan Tuco, em declaração à agência de notícias espanhola Efe, disse que ainda não foram calculados os prejuízos econômicos provocados pelo fenômeno climático, mas que espera que não alcancem os níveis do ano passado, quando o fenômeno El Niño catástrofes no mais pobre país da América do Sul.

Entre janeiro e março de 2007, foram 56 mortos e 600 mil pessoas afetadas na Bolívia, e as perdas foram avaliadas em US$ 443,3 milhões, o equivalente a 4% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Segundo Tuco, o Conselho Nacional para a Redução de Riscos e Atenção a Desastres e Emergências (Conarade) definirá nesta semana se declara situação de “desastre nacional”, para conseguir ajuda econômica às famílias afetadas. Até ao momento já foram distribuídas 424 toneladas de alimentos e foi recebida ajuda internacional que incluiu brigadas de resgate com helicópteros provenientes do Brasil, Chile, Peru, Venezuela e Japão, entre outros países, além da cooperação dada pelas agências da Organização das Nações Unidas.

O Brasil foi um dos primeiros países a enviar ajuda à Bolívia, com pessoal, comida e material para salvamento e acampamento, além dos helicópteros.

No ano passado, a região amazônica de Beni foi a mais afetada, sobretudo a capital, Trinidad, onde nos próximos dias são esperadas novas cheias. Mas, ainda segundo Tuco, neste ano foram adotadas medidas de prevenção, como a retirada de 500 famílias que foram instaladas em acampamentos provisórios.

*Colaborou em Brasília Marco Antônio Soalheiro, repórter da Agência Brasil

Mais Sobre Mundo - Internacional

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Missão em Israel proporciona grande experiência de fortalecimento comercial com produtos de Rondônia

Uma missão para um país como Israel, que se reinventou superando adversidades naturais e políticas, torna-se de grande relevância estratégica para est

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

Em Tel Aviv, potenciais de Rondônia são apresentados para empresários em Missão Internacional do Sebrae

A Missão Internacional Israel, promovida pelo Sebrae em Rondônia deve gerar grande frutos em breve. Empreendedores rondonienses compuseram a comitiv

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Ômicron deve infectar mais da metade da Europa em 6 a 8 meses, segundo a OMS

Mais da metade da população europeia deve ser infectada pela variante Ômicron do coronavírus nas próximas seis a oito semanas, disse nesta terça-fei

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

MSF encontra 10 mortos em barco de madeira à deriva no Mediterrâneo

Em 16 de novembro, durante uma difícil operação de busca e resgate a menos de 30 milhas náuticas da costa da Líbia no Mediterrâneo Central, a equipe