Terça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Seca começa a afetar operações do porto


A baixa nas águas do rio Madeira na região metropolitana da capital atingiu, este ano, um ponto crítico antes da época tradicional. A régua da Capitania dos Portos registrou ontem a profundidade máxima de 3,72 cm, quando, em anos anteriores, o número havia estacionado em 4,92 cm. Além de prejudicar a navegação rio acima, em direção a Manaus, a seca começa a afetar as operações do Porto de Porto Velho. O cais flutuante do porto, que tem 115 metros de extensão e cinco pontos para atracação simultânea de balsas e outras embarcações, sofreu um deslocamento na manhã de ontem e está adernado, colocando em risco os procedimentos de carga e descarga.
"Equipes especializadas de manutenção já haviam tomado as providências necessárias para evitar danos ao maquinário e aos equipamentos nesta época do ano, porém, a baixa das águas está acontecendo num ritmo muito rápido", afirmou Leandra Vivian, presidente da Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia (SOPH), empresa pública que administra as instalações portuárias da capital, por onde escoam todo ano cerca de 2,5 milhões de toneladas de produtos exportados e importados por Rondônia.

Dados da Capitania dos Portos mostram que o fenômeno se estende aos principais afluentes do Madeira, como o Machado. Em Ji-Paraná, ontem, o nível do rio, principal tributário da margem direita do Madeira em território rondoniense, registrava uma lâmina d´água de apenas 2,80 metros, Segundo o Corpo de Bombeiros local, o nível deveria ser de, no mínimo, 6,05 metros nesta época do ano.

Além das dificuldades enfrentadas pelos navegantes para não encalhar nos bancos de areia aflorados do fundo das águas e evitar choques contra as pedras que emergem nas proximidades do canal de navegação, balizado ao longo dos 1400 quilômetros da hidrovia, a baixa da lâmina d´água pode limitar temporariamente as operações portuárias na capital, caso seja necessária uma intervenção mais profunda nas estruturas de atracação do Porto de Porto Velho nos próximos dias.

Fonte: Jornal Estadão

Gente de OpiniãoTerça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

EcoCast: série especial discute os desafios e oportunidades do mercado de carbono no Brasil

EcoCast: série especial discute os desafios e oportunidades do mercado de carbono no Brasil

Você sabe o que são os famosos créditos de carbono? E como eles funcionam, você sabe? Na série especial “Carbono: desafios e oportunidades” recebemos

Inovação e Sustentabilidade em Rondônia: UNIR e Eletrogoes Avançam na Pesquisa Florestal

Inovação e Sustentabilidade em Rondônia: UNIR e Eletrogoes Avançam na Pesquisa Florestal

O Grupo de Pesquisa de Recuperação de Ecossistemas e Produção Florestal, coordenado pelas Dra. Kenia Michele de Quadros e Dra. Karen Janones da Roch

Pesquisa estuda folha da Amazônia para substituição do mercúrio na extração de ouro

Pesquisa estuda folha da Amazônia para substituição do mercúrio na extração de ouro

Pau-de-balsa é uma espécie florestal nativa da Amazônia e já é utilizada de forma artesanal na Colômbia para extração de ouro.Agora, cinco instituiçõ

Ibama define nova prioridade para enfrentar perdas na biodiversidade e a crise climática

Ibama define nova prioridade para enfrentar perdas na biodiversidade e a crise climática

Neste ano em que completa 35 anos, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) comemora o impacto do trabalho

Gente de Opinião Terça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)