Porto Velho (RO) sexta-feira, 3 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Royalties valem mais que toda a soja de Rondônia


Tesouro inexplorado: A biodiversidade e o geodversidade de Rondônia constituem um tesouro inexplorado e s pesquisa científica e tenológica de suas riquezas gerará prosperidade para o povo de Rondônia - diz o deputado Jesualdo Pires, idealizador da Faperon.

Por Nelson Townes

Porto Velho, domingo, 11/10/2007 – Um “royaltie” (valor em dinheiro) pago pelo uso de um único novo fármaco (base para medicamento) que seja descoberto nas florestas de Rondônia e patenteado aqui pode valer toda a plantação de soja do Estado – disse o professor universitário Jorge Luiz da Silva Alves, membro da comissão organizadora da Fundação de Amparo à Pesquisa Científica e Tecnológica de Rondônia (Faperon), presidida pelo deputado estadual Jesualdo Pires.
Rondônia é um dos dois únicos Estados do Brasil que não têm fundação de pesquisa. Uma instituição dessa natureza em Rondônia – como diz o deputado Jesualdo Pires – nivelará o Estado aos mais desenvolvidos do país, solucionará o problema do desemprego e gerará riquezas para a população.
“Efetivamente – comentou por sua vez o professor Jorge Luiz da Silva – “para cada R$ 1,00 investido pelo Estado, ou pela empresa privada local, terá a contrapartida de R$ 3,00 da União e R$ 5,00 de entidades internacionais.” Royalties valem mais que toda a soja de Rondônia - Gente de Opinião
“A exploração de nossa biodiversidade e geodiversidade gerará divisas que em 15 a 20 pagarão toda a dívida externa brasileira” – acrescentou Luiz da Silva.
Ele lembrou que centenas de milhões de dólares tem sido gerados por produtos de nossas matas roubados por biopiratas do Exterior e até mesmo por pesquisadores de instituições nacionais.
“Produtos de nossa flora que são triviais para nós, como a copaíba, por exemplo, são estudados pelos pesquisadores de fora e rendem fortunas: a copaíba tem em sua composição um fixador de perfumes que enriquece industriais e gera empregos em vários países..”
A pesquisa científica e tecnológica da biodiversidade e das geodiversidade são, nas palavras do deputado Jesuaaldo Pires, a melhor forma de desenvolvimento com preservação ambiental e geração de empregos.
Desenvolvimento juvenil
A Faperon tem, em seus estatutos, uma finalidade que a tora única no país: o incentivo e o apoio, através de bolsas de estudos, para os estudantes do 1º e 2º Graus que demonstrarem interesse e aptidão para as ciências e tecnologia.
“Em outros Estados – disse o professor Jorge Luiz da Silva – as fundações de pesquisa apóiam jovens que já se encontram nos cursos universitários”. “A Faperon quer estimular os talentos rondonienses desde o ensino fundamental.”
A Faperon está sendo organizada nos moldes das melhores instituições nacionais e internacionais de pesquisa e sua implantação significará, como diz o deputado Jesualdo Pires, “uma nova era de desenvolvimento para o Estado.”
Fonte: Nelson Townes - NoticiaRo.

Mais Sobre Meio Ambiente

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Sessenta Policiais Militares do Batalhão de Polícia Ambiental, de todo o Estado, participaram na manhã desta sexta-feira (28/2) da Oficina sobre