Porto Velho (RO) quinta-feira, 9 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

RONDÔNIA TEM FRIO, CALOR E AR DE DESERTO EM 24 HORAS



A baixa umidade favoreceu o declínio acentuado das temperaturas na madrugada. Pela tarde, o calor tomou conta e o ar seco bateu recorde de norte a sul.

Daniel Panobianco – Rondônia não está sob influencia de friagem, mas as temperaturas, pela primeira vez em 30 dias, caíram significativamente na madrugada desta sexta-feira. O ar extremamente seco favoreceu o declínio nos termômetros, com sensação de frio ao amanhecer em várias cidades.

Frio - Segundo dados da estação automática do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) em Ariquemes, a mínima às 7 horas (local), foi de apenas 15,9°C, curiosamente, a mais baixa de todo o Estado. Desde que a estação foi aberta em julho deste ano, a menor temperatura era do dia 23 do mesmo mês, com 17,3°C.

Em Cacoal, outra estação automática do INMET registrou mínima de 17,3°C entre 6 e 7 horas (local). A menor temperatura desde que a estação entrou em funcionamento, no mês de julho, é do dia 27, com 16,6°C.

Em Guajará-Mirim, a queda de temperatura não foi significativa, mas a marca de 20,0°C de mínima observada na estação da REDEMET (Rede de Meteorologia do Comando da Aeronáutica) é a menor dos últimos 30 dias.

No centro do Estado, Ji-Paraná amanheceu com 16,9°C de mínima, segundo dados de duas estações meteorológicas, uma do SIVAM (Sistema de Vigilância da Amazônia) e outra particular, no Centro da cidade.

Em Porto Velho, a temperatura mínima chegou a 17,8°C na estação automática do INMET, na Zona Sul. A menor temperatura de 2008 observada neste ponto da cidade é de 15,1°C registrada no dia 17 de julho. Já na estação da REDEMET no Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira de Oliveira, a mínima foi de 19°C. O recorde de 2008 é de 18,0°C no dia 17 de julho.

Em Vilhena, considerada a cidade mais fria da Amazônia, a altitude deu a resposta de que nem sempre isso é válido. Dados de METAR do aeroporto local indicaram mínima de 20,0°C. A menor temperatura de 2008 é de 12,0°C registrada no dia 31 de maio.

Calor – Se por um lado o amanhecer foi de temperaturas mais brandas que o habitual em Rondônia, a tarde foi tipicamente rondoniense. Muito sol e calor intenso.

Em Ariquemes, a máxima chegou a 37,4°C às 15 horas (local), não muito distante do recorde do ano de 37,9°C observada no dia 20 deste mês.

Em Cacoal, o calor chegou a 37,1°C, bem próximo do recorde de 2008 de 37,5°C registrado nos dias 5 e 19 de agosto.

Na capital, o calor foi intenso, porém não o mais elevado do ano. Na estação do INMET, a máxima atingiu 35,2°C, sendo que o recorde de 2008, nesta estação, é de 37,0°C registrado no dia 16 de agosto.

No Cone Sul, Vilhena registrou máxima de 33,0°C. O recorde em 2008 é de 34,0°C nos dias 11 e 20 de agosto.

Ponto de Orvalho – O ponto de orvalho (Dew Point) é definido como o ponto em que o vapor de água presente no ar está prestes a se condensar. O ar atmosférico sempre contém quantidade variável de vapor de água conforme a temperatura, região, estação, etc. Esse vapor, resultante da evaporação das águas dos mares, rios e lagos, sobretudo pela ação do calor solar, sobe na atmosfera e passa a fazer parte de sua composição. Devem-se ao vapor de água diversos fenômenos relevantes na vida de animais e plantas, como a chuva, neve, etc. Em Rondônia, o valor mínimo de ponto de orvalho foi recorde absoluto nesta sexta-feira.

Em Ariquemes, o nível atingiu apenas 7,2°C às 15 horas (local) na estação do INMET, contra o recorde de 7,8°C registrado ontem.

Em Cacoal, também houve recorde de menor ponto de orvalho. A temperatura às 15 horas (local) na estação do INMET chegou a marcar apenas 4,4°C, vencendo o recorde de um dia antes, que era de 5,1°C.

Em Guajará-Mirim, dados de METAR acusaram apenas 8,0°C, também a menor do ano.

O ponto de orvalho mínimo também atingiu o valor recorde de 2008 em Porto Velho. Na estação do INMET, às 15 horas (local) foram observados apenas 8,0°C. Na região do aeroporto local, dados de METAR indicaram apenas 9,0°C, a mais baixa do ano, também.

Em Vilhena, pela umidade um pouco mais elevada e uma temperatura mais branda, o ponto de orvalho mínimo chegou a 11,0°C,de acordo com dados de METAR, sendo que o recorde em 2008 é de 8,0°C registrado nos dias 16 de julho e 21 de agosto.

Umidade – Com o recorde de ponto de orvalho mínimo aliado às altas temperaturas, o ingrediente principal não poderia ter faltado. Aliás, faltou e muito, não para o registro de extremos das demais variáveis e sim para a respiração das pessoas, plantas e animais.

A umidade mínima atingiu novamente os 17% na estação do INMET em Ariquemes, mesmo valor registrado na quinta-feira, sendo recorde em 2008.

Em Cacoal, o ar mais seco de todo o Estado bateu um novo recorde. A estação automática do INMET registrou apenas 14% de umidade, vencendo o recorde de 15% registrado nos dias 20 e 21 de agosto.

Em Guajará-Mirim, os mesmos dados de METAR que acusaram extremos de temperatura máxima e ponto de orvalho mínimo, apontam para apenas 16% de umidade mínima às 14 horas (local), sendo este, o menor valor de umidade do ano na fronteira com a Bolívia.

O menor índice de umidade de 2008 em Porto Velho era de 21% registrado nos dias 25 de julho e 21 de agosto. Nesta sexta-feira essa marca foi superada. Pela primeira vez em 2008, a capital de Rondônia passou do Estado de Atenção – com índice de umidade entre 20% e 30% - para o Estado de Alerta, com índice de umidade entre 12% e 20%. O valor mínimo na Zona Sul, chegou a 19% apenas. No aeroporto local, também houve recorde de tempo seco. A umidade mínima chegou a 20%, segundo dados de METAR. O recorde anterior era de 24% registrado no dia 15 de julho.

No sul do Estado, dados de METAR indicaram umidade mínima de 22% em Vilhena, igualando com o índice registrado na quinta-feira, também sendo o menor do ano.

Um fato interessante ligado à umidade relativa é que o homem sente-se melhor em um ambiente com umidade baixa - mesmo a despeito de forte calor - do que em lugares de umidade relativa elevada e temperaturas menores. Nestes últimos, o suor custa mais a evaporar, razão pela qual a sudorese, ainda que abundante, não provoca resfriamento sensível. Uma sudorese muito menor em ambiente de ar seco permite, ao contrário, uma evaporação rápida do suor e uma conseqüente diminuição de temperatura.

Se você vive num lugar em que o ar é seco no verão, isto é, a umidade relativa é baixa, você sua livremente e pode suportar temperaturas superiores a 37ºC. Num lugar de muita umidade você sente calor mesmo a 25ºC. Não é o calor, é a umidade que faz você sentir-se mal. O seu conforto depende da temperatura do ar como de sua umidade relativa.

Dados: SIVAM – INMET – REDEMET
Fonte: De olho no tempo

 

Mais Sobre Meio Ambiente

Ji-Paraná: prefeitura encerra atividade no lixão e passa a utilizar aterro sanitário

Ji-Paraná: prefeitura encerra atividade no lixão e passa a utilizar aterro sanitário

A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia), encerrou nesta segunda feira (06), as atividades no lixão munic

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto