Porto Velho (RO) segunda-feira, 23 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Professor defende mudança no padrão consumo para preservar meio ambiente


 
Lourenço Canuto
 
Agência Brasil,
Brasília - O professor da Academia de Ciências da Universidade de Brasília (UnB) Oton Leonards disse que o tratamento que a humanidade dá ao meio ambiente é "o legado que vai ser deixado às gerações futuras". Ele recomenda, por isso, mudança no padrão da produção e do consumo, "como foi receitado pela Carta da Terra", assinada durante a Rio 92, encontro ambiental de que participaram 180 países no Rio de Janeiro. "É inevitável e imprescindível uma mudança de mentalidade para que a humanidade possa sobreviver", afirmou.

O professor fez palestra, na semana passada, na abertura do 1º Fórum sobre Resíduos Sólidos, organizado pela UnB para discutir a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em agosto deste ano.

A PNRS estabeleceu normas para a gestão do lixo, inclusive o tóxico, e prevê penalidades para quem não fizer a reciclagem correta. O fórum marcou a implantação do sistema de coleta seletiva de lixo na universidade, com a criação do programa Recicla UnB.

"A forma de consumo do mundo está nos destruindo, por isso temos que dar vários passos para trás e seguir outros caminhos, baseados em princípios mais humanos, abolindo o sistema de competição e dando lugar à colaboração", disse o professor. Para ele, no futuro, "a humanidade tende a ser entulhada em lixo".

Oton Leonards vê os aterros sanitários como "verdadeiras montanhas invertidas que estão poluindo os rios, por isso é preciso consciência sobre o que está sendo feito". Ao falar sobre as transformações que a terra está sofrendo, ele destacou que são reações advindas dos processos geológicos, climáticos e biológicos.

"Uma simples bactéria pode desequilibrar a terra", disse o especialista. Ele citou o exemplo deixado pelos Guaranis, da época do descobrimento do Brasil, que enterravam os mortos de forma organizada, junto com seus objetos de arte. Para Leonards, as populações tradicionais têm muito o que ensinar no Brasil sobre o trato com o meio ambiente.

A professora Mara Marchetti, do Núcleo da Agenda Ambiental da UnB, destacou que a universidade é signatária da Carta da Terra e que a iniciativa de implementar o programa de reciclagem é "para despertar a reflexão sobre o cuidado com os atos e o consumo" na comunidade acadêmica. Os funcionários vão ser capacitados para a coleta seletiva, com a mobilização também das cooperativas que trabalham nessa área com a UnB.


 

Mais Sobre Meio Ambiente

Sistema Fecomércio participa do Lançamento do Amazônia + 21

Sistema Fecomércio participa do Lançamento do Amazônia + 21

O Presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac/IFPE e Vice-Presidente da CNC, Raniery Araujo Coelho esteve no Lançamento do Fórum Amazônia + 21, ocorri

Pesquisadores descobrem complexo arqueológico na Amazônia Central

Pesquisadores descobrem complexo arqueológico na Amazônia Central

As crônicas de Gaspar de Carvajal, padre espanhol que navegou pelo rio Amazonas no século 16, descrevem uma área repleta de aldeias indígenas. ”Enco

Não faz o dever de casa - Enquanto Macron luta pela Amazônia, políticas ambientais da França desapontam

Não faz o dever de casa - Enquanto Macron luta pela Amazônia, políticas ambientais da França desapontam

O presidente francês, Emmanuel Macron, recebeu elogios por colocar os incêndios florestais na Amazônia no topo da agenda global, mas em casa os defens

Mais de 50 técnicos do Estado participam de curso de Geotecnologias e Ferramentas de Gestão do Território do projeto Plantar

Mais de 50 técnicos do Estado participam de curso de Geotecnologias e Ferramentas de Gestão do Território do projeto Plantar

Foi concluído nesta sexta-feira, em Porto Velho, o curso de Geotecnologias e Ferramentas de Gestão do Território, voltado a técnicos da Empresa de Ass