Porto Velho (RO) quinta-feira, 2 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Pesquisadores 'céticos' aquecimento global pedem debate


Luana Lourenço
Agência Brasil


Brasília - Ao contrário do que defende o Painel Intergovernamental de Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês), a temperatura da terra não vai aumentar nos próximos anos. A teoria é defendida por pesquisadores “céticos” do aquecimento global, que rejeitam a tese da contribuição do homem para o fenômeno e apontam a influência de fatores externos ao planeta – entre eles os raios cósmicos galácticos – como justificativas para variações do clima terrestre.

Com base em dados do programa Cosmics Leaving Outdoor Droplets (Cloud), que reúne cientistas de dez países, um grupo de pesquisadores entregou uma carta ao ministro da Ciência e da Tecnologia, Sérgio Rezende, na última semana.

Eles questionam a ação antrópica (do homem) no aquecimento e pedem a participação do ministério em seminários que pretendem realizar neste ano. Nos encontros, o grupo pretende discutir a teoria dos raios cósmicos e “trazer o debate para o público”, segundo o pesquisador Luis Carlos Molion, professor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), PhD em meteorologia e um dos signatários do documento.

“Os raios cósmicos galácticos interagem com a troposfera e induzem a formação de núcleos de condensação essenciais à formação de nuvens que aumentam a refletividade da Terra e a esfriam”, afirma a carta entregue ao ministro.

De acordo com o professor Molion, nos próximos 50 anos “o número de raios deve aumentar, elevando a produção de nuvens baixas, e com isso haverá um resfriamento da Terra, ao invés de um aquecimento”, afirmou. A hipótese, segundo o professor, já foi testada em laboratório em um experimento anterior ao Cloud.

De acordo com o documento, “o IPCC não faz precisões, faz projeções baseadas em cenários hipotéticos e utilizando modelos simplificados do clima global cujos resultados carecem de validação”. Molion defende a ampliação do debate sobre o tema no Brasil, que segundo ele, é enviesado por uma visão única do tema, a do IPCC.

“A informação que chega ao público é muito distorcida, como se o homem fosse o grande vilão, o responsável pelo aquecimento global. O que nós queremos, e isso foi dito ao ministro, é que se faça um debate desprovido de qualquer emoção, de qualquer tendência dogmática, para que se esclareça o que há de verdade nesse aquecimento global e quais são os pontos favoráveis e discordantes de cada teoria”, apontou.

Na avaliação de Molion, no debate brasileiro há uma confusão entre mudanças climáticas e conservação ambiental. “Não se deve confundir conservação – por exemplo, a necessidade de frear o desmatamento na Amazônia – com aquecimento global. Não importa se o clima do globo aquece ou resfria, a conservação ambiental é uma necessidade para que as próximas gerações possam desfrutar das mesmas riquezas naturais que nós temos hoje”.

 

Mais Sobre Meio Ambiente

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Sessenta Policiais Militares do Batalhão de Polícia Ambiental, de todo o Estado, participaram na manhã desta sexta-feira (28/2) da Oficina sobre