Porto Velho (RO) quarta-feira, 19 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Número de mortos em naufrágio no Amazonas chega a 17


 
Amanda Mota
Agência Brasil

Manaus - O número de mortos no acidente com o barco Comandante Sales, no Rio Solimões, no Amazonas, subiu para 17. A embarcação perdeu o equilíbrio e virou por volta das 5h45 de ontem (4) nas proximidades do município de Manacapuru, a cerca de 84 quilômetros de Manaus.

Entre os mortos estão dez mulheres e sete homens, incluindo o proprietário do barco, Francisco Alves de Sales, 44 anos. De acordo com estimativas da Marinha, cerca de 100 pessoas estariam a bordo. O número total de passageiros, assim como o de desaparecidos, não é confirmado pela Capitania dos Portos, porque não há uma lista de passageiros.

A viagem foi considerada irregular, já que o barco não tinha autorização para navegação. Pelo menos dez famílias ainda estão à procura de parentes, segundo a Marinha.

O trabalho de resgate da embarcação deve ser concluído ainda nesta manhã. O barco será atracado em uma das margens do rio. Os corpos das vítimas estão sendo encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Manaus para reconhecimento e identificação por parentes.

As causas do acidente ainda não estão esclarecidas. Além de chuvas e ventos, que podem ter provocado o tombamento do barco, a Marinha suspeita de superlotação. Os passageiros haviam participado na noite do último sábado (3) da festa católica do Divino Espírito Santo e embarcaram no Comandante Sales assim que foram encerradas as comemorações na comunidade Lago do Pesqueiro. O destino da viagem era a cidade de Manacapuru.

Wm janeiro deste ano, o barco foi apreendido pela Capitania dos Portos por não ter a documentação exigida, navegar sem tripulação habilitada e ter coletes e bóias em condições inadequadas.

Segundo a Marinha, na ocasião, o proprietário foi intimado a comparecer na Capitania dos Portos em Manaus para apresentar sua defesa prévia e a documentação necessária para regularizar a situação da embarcação, o que não ocorreu.

O barco não chegou a ficar retido porque a Capitania dos Portos não tem espaço para abrigar todas as embarcações irregulares na região de Manaus.


 

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat