Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Governo estuda retirada de 40 mil bois 'piratas' em Rondônia



PABLO SOLANO
da Agência Folha
JOÃO CARLOS MAGALHÃES
da Agência Folha, em Belém

O governo federal planeja a retirada de 40 mil bois "piratas" de uma unidade de conservação em Rondônia. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, 25% da área da unidade já foi transformada em pastagem.

Se a operação for realizada, precisará ser muito maior do que a primeira ação para apreender animais criados em locais reservados à preservação, feita em junho, quando 3.500 cabeças de gado foram apreendidas na Estação Ecológica Terra do Meio, no Pará.

Aqueles bovinos só foram negociados após alguns leilões fracassarem, por falta de participantes. À época, o governo federal foi acusado pelo setor pecuarista de cuidar mal dos bois, e rebateu dizendo que os criadores boicotaram a venda.

A idéia, segundo o ministro Carlos Minc (Meio Ambiente), é que a área já esteja totalmente sem bois até outubro.

A Flona (Floresta Nacional) Bom Futuro também é alvo do setor madeireiro. Segundo dados do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), 30 caminhões saem diariamente da unidade de conservação carregados de toras.

Criada em 1988, ela começou a ser ocupada há dez anos. De acordo com o deputado federal Eduardo Valverde (PT-RO), que foi recebido por Minc para discutir a operação, a situação foi criada por omissão do Estado, que conhecia a existência da comunidade, mas não fez nada para coibir seu crescimento.

Nela existe um pequeno núcleo urbano, com comércio, igrejas e escolas comunitárias. Segundo a legislação ambiental, uma Flona só pode ser usada para extrativismo controlado, visitação e pesquisa.

De acordo com o Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia), a Bom Futuro, com 32% dos seus 249 mil hectares desmatados, é a unidade de conservação federal vice-líder em devastação dentre as UCs (unidades de conservação) federais.

O ministro disse que gradualmente a população que ocupa a reserva será retirada e encaminhada para outras áreas. Entretanto, o Ibama admite dificuldades para realizar o trabalho.

A operação foi definida após discussões com o governador de Rondônia, Ivo Cassol (sem partido), que, disse Minc, resistiu no início a apoiar o plano.

O governador, por meio da sua assessoria, afirmou que está apenas defendendo os direitos dos moradores do local.

 

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat