Terça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

EMBRAPA: Culturas de biocombustíveis podem crescer de modo sustentável


Marco Antônio Soalheiro
Agência Brasil

Brasília - O Brasil tem condições de mostrar para a sociedade e para a comunidade internacional que a produção de etanol é sustentável tanto do ponto de vista ambiental quanto econômico. A afirmação é do pesquisador e chefe-geral da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Solos, Celso Manzatto, responsável pela coordenação do zoneamento agroecológico da cana-de-açúcar, que está sendo planejado pela empresa, com previsão de conclusão para outubro de 2008.

O trabalho é feito em parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Universidade de Campinas (Unicamp), secretarias estaduais de agricultura e meio ambiente, dentre outras. Está ainda na fase inicial, que compreende a completa sistematização dos dados sobre solo, clima, uso da terras, cobertura vegetal e aspectos hídricos de todas as regiões do país.

"Estamos selecionando áreas potenciais para cultivo da cana-de-açúcar, considerando que não interessa a expansão em área com algum tipo de restrição ambiental, nem competir com área de produção de alimentos", explicou Manzatto.

Apesar das críticas que o estudo recebe de ambientalistas e de representantes de agricultores quanto à falta de antecedência, Manzatto considera o zoneamento agroecológico "uma atividade extremamente estratégica e pioneira no Brasil", que permitirá um planejamento inédito da expansão de uma cultura de forma ordenada e com critérios econômicos e ambientais.

Segundo o pesquisador, a possibilidade de produção de cana-de-açúcar na Amazônia esbarra em restrições climáticas, de solo e ambientais, na falta de infra-estrutura adequada da região e também em "discussões políticas que não cabem à Embrapa" .

Manzatto prevê condições para que a cultura da cana-de-açúcar cresça fora do eixo centro-sul (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Minas e Paraná), que hoje concentra a produção nacional. Maranhão, Piauí e Tocantins são estados onde já foram identificados potencial técnico para receber a expansão.

 

Gente de OpiniãoTerça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

EcoCast: série especial discute os desafios e oportunidades do mercado de carbono no Brasil

EcoCast: série especial discute os desafios e oportunidades do mercado de carbono no Brasil

Você sabe o que são os famosos créditos de carbono? E como eles funcionam, você sabe? Na série especial “Carbono: desafios e oportunidades” recebemos

Inovação e Sustentabilidade em Rondônia: UNIR e Eletrogoes Avançam na Pesquisa Florestal

Inovação e Sustentabilidade em Rondônia: UNIR e Eletrogoes Avançam na Pesquisa Florestal

O Grupo de Pesquisa de Recuperação de Ecossistemas e Produção Florestal, coordenado pelas Dra. Kenia Michele de Quadros e Dra. Karen Janones da Roch

Pesquisa estuda folha da Amazônia para substituição do mercúrio na extração de ouro

Pesquisa estuda folha da Amazônia para substituição do mercúrio na extração de ouro

Pau-de-balsa é uma espécie florestal nativa da Amazônia e já é utilizada de forma artesanal na Colômbia para extração de ouro.Agora, cinco instituiçõ

Ibama define nova prioridade para enfrentar perdas na biodiversidade e a crise climática

Ibama define nova prioridade para enfrentar perdas na biodiversidade e a crise climática

Neste ano em que completa 35 anos, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) comemora o impacto do trabalho

Gente de Opinião Terça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)