Porto Velho (RO) terça-feira, 25 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Brasil: Excelência para previsão meteorológica



Diante das enchentes, deslizamentos e outros fenômenos naturais, que vem se repetindo aqui e em outras partes do mundo, a meteorologia ganha cada vez mais importância. O desafio é gerar previsões com antecedência e maior nível de acerto. E o Brasil está caminhando para isso: o país fará parte de dois centros de excelência que, ainda este ano, vão gerar dados mais completos sobre o clima. A tragédia que tirou a vida de centenas de pessoas no Rio de Janeiro, no início do ano, ainda dificulta a vida dos agricultores da Região Serrana.

Cerca de 700 deles perderam tudo ou quase tudo com a enxurrada e os deslizamentos - que levaram não apenas a produção, mas também a terra. Prejuízo que a meteorologia pode ajudar a evitar, se as informações chegarem a tempo.

Até setembro, três novos centros de excelência em previsão climática devem ser instalados na América do Sul. O Brasil vai estar no comando de dois deles. Os pesquisadores do Instituto Nacional de Meteorologia vão trocar informações com outros países para gerar prognósticos sobre chuvas, secas e temperaturas com, no mínimo, três meses de antecedência.

Atualmente as previsões trimestrais se limitam a classificar os níveis de chuva como abaixo, acima ou dentro do normal. Usando dados captados com a tecnologia de outros países, será possível delimitar melhor o volume de chuva esperado, diferenciando, por exemplo, a quantidade prevista para cada município. Se eu lidar somente com o Brasil, uma informação no Rio Grande do Sul, eu não tenho muitos dados do outro lado. Ao passo que olhar a região como um todo você tem uma informação muito melhor, ressalta Antônio Divino Moura, diretor do Instituto Nacional de Meteorologia.

No caso do sul da América do Sul, Brasil e Argentina vão organizar os dados que chegarem também do Uruguai e Paraguai para gerar os prognósticos até seis meses antes de os eventos ocorrerem. No norte, a cooperação será com as Guianas, e a Venezuela. As projeções ficarão disponíveis em um portal na internet.

A representante da América do Sul na Organização Mundial de Meteorologia, Myrna Araneda, diz que os agricultores serão os mais beneficiados. Ela explica que a antecedência na previsão deve reduzir perdas na lavoura, permitindo ainda que as autoridades tomem medidas preventivas. Essa antecedência vai orientar o agricultor, por exemplo, a melhorar a produtividade, evitar riscos por enchentes ou secas e também possibilitar que as autoridades possam tomar medidas de prevenção em casos de desastres naturais, explica.

(Fonte: De olho no tempo, com informações Canal Rural)
 

Mais Sobre Meio Ambiente

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

SP corre risco de enfrentar crise hídrica mais grave que a de 2014

O Sistema Cantareira, que abastece parte da capital paulista e da Região Metropolitana, estava com quase 60% da capacidade um ano antes da crise de 20

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Novo marco legal do saneamento gera polêmica no setor

Agentes reguladores estão avaliando a medida provisória

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Parque Ecológico Municipal recebe plantio de Ipê e Flamboyant

Um grupo de 30 crianças da Fundação JiCred plantou mudas de ipê e flamboyant no Parque Ecológico Municipal. A ação foi realizada pelo Sistema Cooperat