Porto Velho (RO) sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Beneficiamento de pescado é debatido durante Seminário



Inpa apresentou os trabalhos desenvolvidos na área e que comprovam a vocação do Amazonas na produção de embutidos, hambúrguer e outros produtos à base de peixe

No último dia do III Seminário de Negócios da Aquicultura da Amazônia, realizado durante a Feira Internacional da Amazônia (FIAM 2009), entre os diversos temas debatidos, o público participante conferiu as principais técnicas de beneficiamento de pescado desenvolvidas e aplicadas pelo Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa).

A palestra, feita pelo pesquisador Rogério de Jesus, focou os progressos obtidos no campo das tecnologias utilizadas no processamento da matéria-prima. “Nosso trabalho é canalizado para três frentes de ação: a conservação, a caracterização tecnológica e a agregação de valor aos recursos”, afirmou Jesus.

Segundo ele, o emprego de uma tecnologia apropriada é determinante para a empresa, a instituição, obter os resultados esperados.

“Determinar o método de tratamento do pescado só é possível por meio de estudos e pesquisas específicos. Os trabalhos em torno da bioquímica, por exemplo, é que permitem à pessoa inferir sobre as melhores técnicas de beneficiamento”, ressaltou ele.

Atualmente, no Inpa, o processamento tecnológico do pescado agregou técnicas inovadoras que permitem gerar as seguintes categorias de produtos: salgado e seco, defumado a frio e quente. “Também estamos desenvolvendo toda a tecnologia de processamento do concentrado protéico de pescados, que é o piracuí”, destacou Jesus.

Analisar a qualidade e a estabilidade da polpa, da qual são originárias as diversas categorias de produtos (embutidos, hambúrguer, sopa desidratada etc.) é outro trabalho desempenhado pelos técnicos e pesquisadores do laboratório de Jesus. 

Parcerias

Para o secretário de Agricultura de Rondônia, Carlindo Pinto, a Feira apresenta-se como um espaço de oportunidade para promover o intercâmbio entre os Estados do Norte, facilitando o conhecimento sobre as principais pesquisas, projetos e ações de um modo geral executadas no campo da aquicultura na Amazônia Brasileira.

“O Amazonas é o principal comprador do pescado de Rondônia. É um Estado [o Amazonas] que tem uma Academia muito forte e participativa, por isso, seria interessante que esses conhecimentos fossem compartilhados com as regiões vizinhas, quem sabe através da formação de redes de pesquisa”, indicou o secretário.

Fonte: Grace Soares

Mais Sobre Meio Ambiente

Colaboradores do Sistema Fecomércio/RO participam da 4º etapa de implantação do Programa ECOS de Sustentabilidade

Colaboradores do Sistema Fecomércio/RO participam da 4º etapa de implantação do Programa ECOS de Sustentabilidade

Colaboradores do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac/IFPE, participaram no auditório da Federação durante dois dias, da 4° etapa da implantação do programa

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

O Brasil tem 790 barragens de rejeitos de minérios, e mais de 300 delas não foram classificadas em relação ao seu risco de rompimento e ao potencial d

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Os R$ 4 milhões também servirão para elaborar o Plano Municipal de Saneamento Básico e o Plano de Gerenciamento de Resíduos SólidosMais uma vitória im

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Ontem (31/01), a Fundação SOS Mata Atlântica deu início à Expedição Paraopeba, que irá percorrer 356 km deste rio, de Brumadinho à Hidroelétrica Retir