Porto Velho (RO) sábado, 23 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Ano termina com criadores de gado preocupados em Mato Grosso do Sul


  
Arroba despencou nos últimos meses e
é insuficiente para cobrir custos de produção


Em Mato Grosso do Sul, o ano que começou com otimismo para os pecuaristas termina de maneira preocupante O valor da arroba despencou nos últimos meses e é insuficiente para cobrir os custos de produção, um verdadeiro balde de água fria para quem esperava começar 2009 com a atividade em alta.

Em 2008 a atividade viveu duas realidades diferentes no Estado. No primeiro semestre, a valorização do boi gordo indicava que este seria um ano bom para a pecuária. A arroba atingiu preços históricos, na casa dos R$ 90. E a grande conquista veio no início de julho, quando Mato Grosso do Sul voltou a ser reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa com vacinação. Mais uma vez as portas dos principais mercados compradores de carne bovina estavam abertas para o produto sul-mato-grossense.

Mas o otimismo deu lugar à cautela e à preocupação na metade do segundo semestre. Com o avanço da crise econômica internacional, a pecuária não conseguiu manter os bons resultados do início do ano. O setor acompanhou a queda vertiginosa do preço da arroba, que hoje custa cerca R$ 72 no Estado, insuficiente para cobrir os custos de produção.

A situação já faz o pecuarista Deocleciano Zeni pensar em repetir o que fez há três anos, durante a crise provocada pela febre aftosa: se desfazer de 40% parte das matrizes da fazenda em janeiro.

– Sem dinheiro está inviável investir na atividade e mantê-la como está. O jeito é reduzir os custos, diminuído a produção – diz ele.

Os problemas no campo também chegaram às indústrias. Alguns frigoríficos não conseguiram resistir à crise financeira e fecharam as portas. Outros reduziram as escalas de abate e diminuíram a mão-de-obra. Em todo o Estado, as demissões e férias coletivas atingiram seis mil pessoas, conforme o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Alimentícia. No entanto, apesar da dura realidade enfrentada no fim do ano, as lideranças do setor apostam na recuperação da pecuária em 2009. A expectativa é de que o campo ajude a mostrar o caminho para sair da crise.

– O produtor rural está acostumado a lidar com as crises e vai servir de exemplo para a sociedade, superando as dificuldades – afirma o presidente da Federação de Agricultura de Mato Grosso do Sul (Famasul), Ademar Silva Júnior.

Fonte: CANAL RURAL - Luiz Patroni | Campo Grande (MS)
  
 

Mais Sobre Meio Ambiente

Colaboradores do Sistema Fecomércio/RO participam da 4º etapa de implantação do Programa ECOS de Sustentabilidade

Colaboradores do Sistema Fecomércio/RO participam da 4º etapa de implantação do Programa ECOS de Sustentabilidade

Colaboradores do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac/IFPE, participaram no auditório da Federação durante dois dias, da 4° etapa da implantação do programa

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

O Brasil tem 790 barragens de rejeitos de minérios, e mais de 300 delas não foram classificadas em relação ao seu risco de rompimento e ao potencial d

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Os R$ 4 milhões também servirão para elaborar o Plano Municipal de Saneamento Básico e o Plano de Gerenciamento de Resíduos SólidosMais uma vitória im

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Ontem (31/01), a Fundação SOS Mata Atlântica deu início à Expedição Paraopeba, que irá percorrer 356 km deste rio, de Brumadinho à Hidroelétrica Retir