Porto Velho (RO) domingo, 5 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Amorim denuncia que licitação da Flona do Jamari é uma farsa



O deputado Ernandes Amorim (PTB) disse em discurso hoje (8), na Câmara Federal, que várias denúncias já foram feitas por ele aos órgãos de segurança do Estado e Ministério da Justiça de que a licitação da Flona do Jamari é um jogo de cartas marcadas. "Eu venho chamando a atenção da Nação que essa licitação é uma farsa e o que se pretende com isso é internacionalizar de direito a Amazônia, pois de fato ela já está, com a presença de mais 100 mil ONG's e mais de um milhão de ongueiros distribuídos em território amazônico".

Segundo o deputado, a MATA S/A é a única empresa classificada para a concessão da Flona Jamari para o maior lote que é de 46 mil hectares, e as demais foram desclassificadas. "Até aí nada demais. Se a AMATA S/A não fosse presidida por Roberto Waack, vice presidente da FSC - uma ONG com sede na Alemanha, e ex-presidente da Orsa Florestal, que em 13.12.2005 assinou um Termo com o Governo do Pará para administrar um patrimônio florestal (pasmem) de 550 mil hectares, no município de Almeirim".

Por ocasião da assinatura do Termo, conforme explica o parlamentar, Roberto Waack, então presidente da Orsa Florestal, fez a seguinte afirmação: O termo dá segurança para que o grupo faça um investimento de R$ 25 milhões na implantação de uma serraria com uma capacidade produtiva de 3 mil metros cúbicos de madeira/dia.

"Pois bem, essa evidência, ainda não foi suficiente para chamar a atenção das autoridades responsáveis deste país, pois até o Judiciário já acionamos, através de uma Ação Popular (federal), que aguardamos seja julgado em breve", lamentou.

O parlamentar alerta que a Amazônia está sendo ocupada aos poucos por essas ONGs que atuam com grande eficácia e se infiltram nas comunidades tradicionais e órgãos de controle ambiental dos Estados, Municípios e da União, e exercem um poder absoluto nas ações, que deveria ser do Estado.

Para Amorim, a licitação da Flona Jamari precisa ser do conhecimento de todos os brasileiros e a atuação dessas organizações precisa ser investigada em seus mínimos detalhes, pois os seus dirigentes são facilmente identificáveis estão dentro do IBAMA, Serviço Florestal Brasileiro, Ministério do Meio Ambiente e FUNAI, onde ocupam cargo de comando a exemplo do sr. Capobianco, ex-secretário executivo do Ministério de Meio Ambiente, "e dos atuais dirigentes da FUNAI, que são todos ongueiros e parentes entre si".

Todos sabem que a grande maioria dessas ONG's está a serviço de grupos estrangeiros, que são os seus financiadores e defendem os seus interesses infiltrados dentro do Governo e do próprio Congresso Nacional, que está a passos de tartaruga para funcionar a sua CPI das ONG's.

As nossas instituições não funcionam e quando funcionam são para punir exatamente os menos favorecidos pelo aparelho do estado, e tudo isso ocorre pela ausência de um ambiente institucional e de segurança jurídica.
 
Fonte: Yodon Guedes

Mais Sobre Meio Ambiente

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Sessenta Policiais Militares do Batalhão de Polícia Ambiental, de todo o Estado, participaram na manhã desta sexta-feira (28/2) da Oficina sobre