Porto Velho (RO) sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Amazônia rejeita nova divisão de recursos florestais


 
A Comissão da Amazônia, Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional rejeitou na última quarta-feira o Projeto de Lei 2457/07, do deputado Wandenkolk Gonçalves (PSDB-PA), que muda a distribuição de recursos gerados pelas concessões florestais reguladas pela Lei de Gestão das Florestas Públicas (11.284/06). O texto inclui estados e municípios entre os beneficiários.

Hoje, o valor pago pelo concessionário é dividido entre o Serviço Florestal Brasileiro (70%) e o Ibama (30%). O projeto reduz o percentual destinado ao Serviço Florestal para 30%. A diferença (40%) será dividida entre estados e municípios.

A comissão acolheu parecer da relatora, deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), pela rejeição da proposta. "A aprovação do texto enfraqueceria os órgãos de gestão de florestas públicas", adverte.

Além disso, a relatora ressalvou que a Lei de Gestão de Florestas Públicas foi aprovada com o apoio da Comissão da Amazônia e disse que seria incoerente apoiar uma alteração em tão pouco tempo. "Continuamos a apoiar a plena aplicação dos dispositivos dessa lei relativos aos três modelos de gestão das florestas públicas, quais sejam a criação de florestas nacionais, a destinação a comunidades locais e as concessões florestais."

Prejuízos
Wandenkolk Gonçalves alega que as concessões florestais, "embora assegurem padrões sustentáveis de desenvolvimento, acarretam perda potencial de recursos, pelas restrições às atividades econômicas, e, portanto, prejudicam a receita dos estados e municípios, em especial os da Amazônia". Perpétua Almeida discorda dessa avaliação. Ela lembra que a Lei das Florestas Públicas autoriza estados e municípios a utilizarem economicamente suas florestas, diretamente ou por meio de concessões.

Fonte: Agência Câmara

Mais Sobre Meio Ambiente

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

Barragens de minérios: Onde estão as outras com alto potencial de estrago ou alto risco

O Brasil tem 790 barragens de rejeitos de minérios, e mais de 300 delas não foram classificadas em relação ao seu risco de rompimento e ao potencial d

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Porto Velho: Prefeitura destrava recurso de compensação social para Aterro Sanitário

Os R$ 4 milhões também servirão para elaborar o Plano Municipal de Saneamento Básico e o Plano de Gerenciamento de Resíduos SólidosMais uma vitória im

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Brumadinho: Qualidade da água do rio Paraopeba é considerada ruim. Veja as imagens

Ontem (31/01), a Fundação SOS Mata Atlântica deu início à Expedição Paraopeba, que irá percorrer 356 km deste rio, de Brumadinho à Hidroelétrica Retir

ADVOGADO DA EMPRESA DIZ,  "A VALE NÃO É A RESPONSÁVEL POR BRUMADINHO E DIRETORIA NÃO SE AFASTARÁ"

ADVOGADO DA EMPRESA DIZ, "A VALE NÃO É A RESPONSÁVEL POR BRUMADINHO E DIRETORIA NÃO SE AFASTARÁ"

Um dos mais importantes advogados da Vale, Sergio Bermudes, apresentou de público a visão da companha sobre o crime de Brumadinho: a companhia não é r