Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Usina Hidrelétrica Jirau antecipa geração para 2012


O diretor-presidente da Energia Sustentável do Brasil, Victor Paranhos e o presidente da Construtora Camargo Corrêa, Antônio Miguel Marques assinaram, na última quinta-feira, 28/01, o termo de compromisso de antecipação da geração com energia assegurada máxima da Usina Hidrelétrica Jirau. O ato formaliza uma conquista para o Brasil que terá oferta de energia limpa e segura para seu crescimento econômico, quase três anos antes do que estava programado no planejamento energético. A solenidade que teria a presença do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, ausente em virtude de problemas de saúde, foi realizada no canteiro de obras da usina.

O acordo firmado garantirá ao governo federal, 34 meses antes do previsto, a entrega de uma energia assegurada de 2.045,7 MW até dezembro de 2012. Sendo que o determinado pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica seria de 1.975,3 MW em setembro de 2015. Assim, a UHE Jirau estará gerando toda a energia assegurada prevista no edital de leilão da ANEEL, em novembro de 2012. Veja, na última página, tabela de comparação entre o novo cronograma meta e leilão.

A geração será iniciada em março de 2012, com previsão da primeira das 46 turbinas entrar em operação em janeiro do mesmo ano. No início de 2014 a usina estará toda motorizada. O previsto em leilão seria apenas para dezembro de 2016.

A assinatura do termo teve como testemunhas o presidente da Eletrosul, Eurides Mescolotto, o diretor de Engenharia da Chesf, José Ailton de Lima, a representante do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Helena de Oliveira, o desembargador Renato Mimessi – representando o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, o diretor Institucional da Energia Sustentável do Brasil, José Lúcio de Arruda Gomes, o diretor de Engenharia da Camargo Corrêa, Marco Bucco e o superintendente da construtora em Jirau, Luiz Américo Rogo. Representantes da Bardella, da Siemens e da Voith – empresas fornecedoras da UHE Jirau.


Grandiosidade da obra e capacitação profissional
 

UHE Jirau é, atualmente, a maior usina hidrelétrica em construção no Brasil e 14ª do mundo. Um empreendimento grandioso que terá mais de 40 mil trabalhadores, diretos e indiretos em seu auge. Victor Paranhos fez questão de destacar o comprometimento dos mais de 10 mil trabalhadores que se revezam em três turnos, para cumprir o novo cronograma. 80% do efetivo, atual, é mão de obra local. Uma obra de Rondônia construída pelo povo rondoniense. “Descobrimos nesse Estado trabalhadores comprometidos e ávidos por aprender. O maior legado de Jirau, além dos benefícios financeiros e da energia limpa será a capacitação das pessoas que poderão ser aproveitadas em outras obras”, disse o presidente da Energia Sustentável do Brasil.

O presidente da Construtora Camargo Corrêa, Antônio Miguel Marques lembrou que a antecipação da geração assegurada está amparada no planejamento da obra e segue padrões internacionais de segurança. “Temos dez mil homens trabalhando aqui e não registramos nenhum incidente digno de nota. O que possibilitou a conquista histórica da marca de cinco milhões de horas/homem trabalhadas sem acidentes com afastamento”, afirmou Antônio Miguel.


Paralelismo da obra
 

A garantia da oferta antecipada de energia segura e limpa para o desenvolvimento do país está amparada numa ampla logística e num planejamento minucioso. Estas ações impediram até mesmo que o conhecido inverno amazônico impedisse o andamento da obra.

Nessa nova fase de cronograma antecipado, as obras das duas margens (direita e esquerda) do rio Madeira estão sendo realizadas paralelamente. Isto significa a construção das Casas de Força I e II simultaneamente, assim como a montagem eletromecânica de suas unidades geradoras.

Na margem direita acontecem a concretagem do vertedouro e os trabalhos de escavação na Casa de Força I, com previsão de término em março deste ano para entrada em operação no mesmo mês de 2012.

Na margem esquerda, os participantes do evento puderam presenciar as atividades de preparação da infraestrutura da área onde será implantada a Casa de Força II, que terá 18 unidades geradoras e inicia seu funcionamento em maio de 2012. A construção do acampamento (alojamentos, refeitório, áreas de lazer, redes de água e esgoto) e a estruturação do canteiro industrial e administrativo (centrais de britagem e de concreto, oficinas, pátios industriais, rede de energia elétrica e escritório administrativo) também estão em andamento.

Fonte: Comunica

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Comissão da ALE aprova projetos que retiram incentivos das usinas do Madeira

Comissão da ALE aprova projetos que retiram incentivos das usinas do Madeira

Comissão também analisou outros projetos que seguem para votação em Plenário...

Sistema de transposição de peixes da UHE Jirau é referência

Sistema de transposição de peixes da UHE Jirau é referência

Sistema de Transposição de Peixes da UHE Jirau foi projetado pelos melhores especialistas no assunto

Coopprojirau e Observatório ambiental visitam UHE Jirau

Coopprojirau e Observatório ambiental visitam UHE Jirau

A Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE) Jirau, mantém uma agenda de visitas institucionais que inclui os pr