Porto Velho (RO) sábado, 16 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Sobrinho cobra do governo fornecimento de gás da Bolívia para termelétrica


O senador Osvaldo Sobrinho (PTB-MT) voltou à tribuna, um dia depois da primeira manifestação, para cobrar do governo ações que garantam a retomada do fornecimento de gás natural à Usina Termelétrica Governador Mário Covas. A entrega de gás foi interrompida desde agosto de 2007, o que resultou na paralisação de sua produção de energia. Como assumiu compromissos acima de sua capacidade de produção, para fornecer gás à Argentina e manter acordo com a própria Petrobras, conforme o senador, a estatal boliviana do setor de gás e petróleo acabou optando pelo descumprimento do contrato com a termelétrica de Cuiabá.

- O Mato Grosso exige que se cumpra o compromisso com o estado. Se sabiam que não tinham gás para oferecer quando fizeram novos convênios, por que fizeram? Há que ter alguma regra de controle dessas coisas - criticou.

Oswaldo Sobrinho cobrou uma atitude mais enérgica do Itamaraty para evitar que a Região Centro-Oeste continue sendo prejudicada pela decisão unilateral da Bolívia em cortar o fornecimento à Pantanal Energia, empresa que opera o complexo formado pela usina e, do lado brasileiro, o gasoduto que transporta o insumo. Depois de afirmar que "o Itamaraty é um órgão operativo", ele desafiou a área diplomática a buscar uma solução para o caso.

- A melhor diplomacia do mundo sempre foi a do Brasil; sempre foi a da paz, da concórdia, da busca de soluções. Que [o governo] entre em contato com o país vizinho, para que possa cumprir o contrato com o Brasil, e, principalmente, com Mato Grosso, caso contrário será mais uma vez o Brasil acocorando-se - afirmou.

Antes, o senador lembrou a invasão das instalações da Petrobras na Bolívia, em 2006, após a decisão do presidente boliviano, Evo Morales, de estatizar todas as operações de gás e petróleo. Depois disso, como lembrou, o governo brasileiro fez uma série de concessões ao país vizinho, inclusive aceitando pagar um preço quase 300% maior pelo fornecimento de gás à Petrobras.

Garantias

Mesmo com estabelecendo uma redução de 50% da cota global de gás que a estatal boliviana (YPFB) se obrigava a fornecer ao Brasil, o acordo firmado em 2007 com os bolivianos previa a garantia mínima de atendimento, projetada em 1,1 milhão de metros cúbicos por dia até o fim de 2009 e de até 2,2 milhões até 2019. Em relação ao Brasil, a usina de Cuiabá estaria entre as prioridades de abastecimento, ao lado da Petrobras.

- A Bolívia descumpriu sistematicamente este contrato, tanto no que se refere à garantia de fornecimento de gás quanto à prioridade de fornecimento - acusou.

O senador relembrou que o Projeto Integrado Cuiabá foi concebido em 1996, quando Mato Grosso apresentava déficit de energia elétrica. A Pantanal Energia venceu a licitação para a implantação do empreendimento, em que foram investidos, como informou, cerca de R$ 1,5 bilhão. Até então, o projeto é o maior investimento privado na história do estado.

O sistema foi idealizado para suprir a usina térmica de Cuiabá e, ainda, a outros consumidores de gás do estado. O gasoduto pode transportar até 2,8 milhões de metros cúbicos de gás por dia (sem compressão) e chegou a direcionar até 2,2 milhões de metros cúbicos diários. Segundo Oswaldo Sobrinho, a termelétrica é um ativo estratégico do sistema elétrico brasileiro - o chamado Sistema Interligado Nacional (SIN) - por reforçar e tornar mais segura suas operações, diante do crescimento econômico estadual e nacional. Por isso, observou, não pode continuar parado, sob o risco de vir a sucatear.

- Com a térmica em operação, é possível garantir a qualquer investidor que em Mato Grosso não faltará energia - justificou.

Agência Senado

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A