Porto Velho (RO) sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Setor energético crescerá neste ano para acompanhar aumento do PIB



O crescimento do PIB brasileiro em 2011 está estimado em 4,5% a 5%, abaixo das estimativas preliminares para 2010, de 7,2%.


Para acompanhar o ritmo, o setor de energia também apresentará crescimento em suas principais áreas: petróleo e gás, energia elétrica e biocombustíveis.


O setor de petróleo, comandado pelos investimentos da Petrobras, terá nos próximos anos uma participação cada vez maior no PIB. Hoje já representa 12% e a expectativa é que no final do mandato da presidente Dilma Rousseff chegue a 15%.


O mercado aguarda a retomada das rodadas de licitação da ANP (Agência Nacional de Petróleo).


Está prevista para o final de 2013 a entrada em operação da refinaria Abreu e Lima e da primeira fase do Comperj (Complexo Petroquímico do Rio), enquanto a refinaria Premium do Maranhão terá a sua primeira fase terminada no final de 2014.


Portanto, a importação de derivados, que atingiu o recorde da década em 2010, provavelmente continuará crescendo em 2011 acima da de petróleo.


No mercado internacional, espera-se um preço 8% maior do petróleo, resultado da recuperação econômica mundial e do menor ritmo de crescimento da oferta.


O mercado de gás natural é uma grande aposta para os próximos anos. Em 2011 a oferta local de gás natural irá crescer. O gás importado da Bolívia complementará a oferta, porém irá gradualmente diminuir a sua importância no que tange à segurança do abastecimento.


No setor de energia elétrica, o governo definirá se prorroga ou relicita as concessões de geração, transmissão e distribuição que começam a expirar em 2012.


Quanto à expansão da oferta, a EPE (Empresa de Pesquisa Energética) planeja no primeiro semestre um leilão A-5, um A-3 e um leilão de energia de reserva, com o retorno das termelétricas, em particular as de gás natural.


Dentre as fontes alternativas, o destaque continuará sendo a expansão da energia eólica e espera-se um melhor desempenho da biomassa.


No setor de biocombustíveis, o etanol precisará de mais investimentos para retornar à expansão da produção e voltar a ter competitividade em relação à gasolina.


Inovações, como produção de plástico verde e de etanol celulósico, tendem a ganhar cada vez mais destaque.


A produção de biodiesel seguirá a expansão da demanda por diesel e os produtores reivindicarão metas mais elevadas de mistura ao diesel, de 10% a 20%.


Outro grande evento de 2011 é o início da segunda fase do PAC, que destinará, no período 2011-2014, R$ 461,6 bilhões para o setor de energia -sendo 40% para petróleo e gás.

Fonte: Folha de São Paulo/ADRIANO PIRES é diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE).
 

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A