Porto Velho (RO) sábado, 23 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Raupp leva técnicos para debaterem hidrelétrica de Machadinho


A mesma euforia experimentada pela população de Porto Velho quando das discussões e debates que antecederam o início das obras das usinas do rio Madeira começa a ser sentida pelos moradores de Machadinho do Oeste. Na manhã desta sexta-feira (26), a população local lotou o auditório do Centro Cultural Marinha Andrade Rocha, durante audiência pública promovida pelo presidente da Câmara Municipal, Amauri do Valle, para ouvir as explicações sobre o empreendimento. 

A convite do senador Valdir Raupp, participaram do evento diversos técnicos de órgãos federais envolvidos na construção da hidrelétrica. Da Eletronorte, estiveram presentes o superintendente Luiz Fernando Rufatto; o coordenador de meio-ambiente, Fernando Inácio Bastos; o engenheiro civil, Gilberto Elias e o geólogo, Bruno Payolla. Furnas enviou o diretor de Planejamento e Geração, Guilherme Rocha Macedo; o diretor de Construção, Márcio Porto e o gerente Afonso Andrade. A construtora Queiroz Galvão, que lidera o consórcio que está fazendo os estudos, esteve representada por seu diretor Érico Freitas. A chefe do Instituto Chico Mendes em Rondônia, Caroline Carneiro, fez uma palestra especial, vez que o único obstáculo à construção da usina, está afeto ao Instituto. 

Também estiveram presentes o diretor de Planejamento e Engenharia da Eletrobrás, Márcio Dumond e o superintendente de Meio Ambiente, Ricardo Cavalcanti. 

O projeto da usina Hidrelétrica de Tabajara se arrasta há mais de uma década. No mês de junho de 2006, quase foi inviabilizado de vez, com a criação do Parque Nacional Campos Amazônicos. Isso porque, embora quando o estudo de viabilidade foi realizado ainda não existia a reserva, depois de criada, a área ambiental ficou sobreposta numa área de cerca de 8 quilômetros dentro da área do reservatório. 

O senador Valdir Raupp fez um trabalho político junto à Casa Civil da Presidência da República e junto ao presidente do Instituto Chico Mendes, Rômulo Mello, e, como compensação, conseguiu o compromisso de ampliação do Parque Nacional em mais de 100 mil hectares em terras do estado do Amazonas – além de Rondônia, o Parque reúne do Amazonas e do Mato Grosso.

PAC II

De acordo com o senador Valdir Raupp, a usina será incluída na segunda versão do Programa de Aceleração do Crescimento, que deverá ser anunciado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na próxima segunda-feira (29). A hidrelétrica, que será construída na cachoeira São Vicente e não na 2 de Novembro, como previam os primeiros estudos, terá capacidade de geração de 350 MW, “o dobro da energia gerada pela usina de Samuel”, comparou Raupp.
A deputada federal Marinha Raupp destacou a somatória de esforços entre todos os órgãos governamentais para acelerar o projeto e destacou os benefícios que a cidade terá com as compensações sócio-ambientais. “O município terá muito recurso para investir em saneamento básicio, em saúde, em educação e em obras de urbanização”, disse Marinha ao prefeito Mário Alves.

Fonte: Ascom

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A