Porto Velho (RO) sexta-feira, 21 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Odebrecht quer maior fatia no setor elétrico


O grupo Odebrecht está disposto a ter uma participação mais ativa no setor elétrico brasileiro. Segundo fonte do mercado, a companhia demonstra interesse em dois ativos: a Brasiliana, que controla a distribuidora AES Eletropaulo e a geradora AES Tietê, e a americana Duke Energy. Diante da ofensiva da Camargo Corrêa e da Andrade Gutierrez sobre operadoras tradicionais do mercado, a estratégia da Odebrecht tem como objetivo garantir melhor posicionamento do grupo no setor elétrico, permitindo a participação nos futuros projetos de expansão. 

O fato de circularem comentários no mercado sobre o interesse da Odebrecht pela Brasiliana levou o presidente da AES no Brasil, Britaldo Soares, a voltar a reforçar em público o interesse do grupo americano em exercer o seu direito de preferência pela fatia do BNDES na companhia. Por enquanto, não há uma sinalização de quando o banco de fomento irá retomar o processo de venda dos 53,85% do capital que detém na Brasiliana. 

Soares manifestou, reiterada vezes, o interesse da AES em comprar a fatia do BNDES, afirmando que o grupo está preparado do ponto de vista financeiro para a disputa – inclusive, dispõe de uma linha de crédito no valor de US$ 856 milhões, que só pode ser sacada para esta operação.
 
A outra possível porta de entrada da Odebrecht no setor elétrico seria a Duke Energy, que tem um parque gerador de 2,3 mil MW a partir de oito usinas instaladas entre os Estados do Paraná e São Paulo. Os comentários de que a geradora seria alvo de aquisições sempre circularam pelo mercado, mas ganharam força recentemente com a reestruturação administrativa iniciada nos últimos dois meses, processo que deve culminar com o retorno do atual presidente, Mickey Peters, aos Estados Unidos ainda este ano. 

Seja qual for o veículo que a Odebrecht use para ingressar no setor elétrico, a companhia precisará se posicionar no mercado sob o risco de ser deixada para trás por suas principais concorrentes e de não participar dos futuros projetos estruturantes de energia.

Fonte: Jornal do Commercio/RJ/DA AGÊNCIA ESTADO

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Hidrelétrica Santo Antônio comemora o Dia da Árvore com criação de bosque

Hidrelétrica Santo Antônio comemora o Dia da Árvore com criação de bosque

Na manhã de hoje, em comemoração ao Dia da Árvore, foi inaugurado um bosque na Hidrelétrica Santo Antônio. A área de mais de dois hectares, o equivale

Comissão da ALE aprova projetos que retiram incentivos das usinas do Madeira

Comissão da ALE aprova projetos que retiram incentivos das usinas do Madeira

Comissão também analisou outros projetos que seguem para votação em Plenário...

Sistema de transposição de peixes da UHE Jirau é referência

Sistema de transposição de peixes da UHE Jirau é referência

Sistema de Transposição de Peixes da UHE Jirau foi projetado pelos melhores especialistas no assunto