Porto Velho (RO) sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Moradores da vila da Usina Jirau aprovam a primeira feira de hortifrutigranjeiros


 

O Observatório Ambiental Jirau, com apoio da Energia Sustentável do Brasil (ES-BR), realizou no último fim de semana a primeira Feira Livre de Nova Mutum Paraná, que acontecerá na vila da Usina sempre aos finais de semana pela manhã. A comercia-lização fica por coMoradores da vila da Usina Jirau aprovam a primeira feira de hortifrutigranjeiros - Gente de Opiniãonta de produtos da Unidade Demonstrativa de Aprendizado (UDA) de Manejo Ambiental do Observatório e dos produtores rurais do PA São Francisco, Ramal Primavera, Arrependido e 31 de Março, que oferecem hortifrutigranjeiros frescos e livres de agrotóxicos.

Produtos como quiabo, macaxeira, batata, maxixe, couve, abóbora, ervas, pimen-ta, banana, açaí, carambola, frango caipira, ovos, água de coco, caldo de cana e pastéis feitos na hora, foram vendidos a preços populares no primeiro fim de semana da feira.

Isabel Souza, 35 anos, foi uma das pessoas que aprovou a iniciativa. “Realmente estávamos precisando desses produtos aqui em Nova Mutum Paraná. Meu marido pas-sa o dia e às vezes a noite trabalhando, acabo tendo que fazer a feira da semana sozi-nha”, relata a moradora.

Paralelamente às vendas, uma pesquisa foi realizada com o intuito de identificar as necessidades dos moradores, visando diversificar ainda mais a variedade dos produ-tos ofertados. Para Adelina Teixeira Fonseca, coordenadora do Programa de Educação Ambiental desenvolvido pela Usina Hidrelétrica Jirau, a feirinha é resultado dos traba-lhos de educação ambiental, que trabalha a organização da produção rural na área de influência da Usina.

A previsão é de que a feira aconteça todos os sábados e domingos das 7h às 12h. Os recursos financeiros obtidos com a comercialização dos produtos serão dividi-dos entre Observatório Ambiental Jirau e produtores rurais, conforme a produção comer-cializada de cada um.


Observatório Ambiental Jirau

Localizado em Mutum Paraná, o Observatório Ambiental Jirau, mantido pela Energia Sustentável do Brasil, possui como objetivo principal promover atividades voltadas para o desenvolvimento sustentável das comunidades que se encontram na área de influên-cia da Usina Hidrelétrica Jirau.

Através de ações de capacitação para a formação de monitores ambientais em pesquisa social e produção de informações socioambientais como cinema, documentário e jornal, manejo ambiental e projetos de geração de renda, informática, música, desenho e ou-tras, cerca de 160 pessoas da comunidade são atendidas pelo programa, dos quais 26 jovens atuam na Unidade Demonstrativa de Aprendizado de Manejo Ambiental (UDA), que funciona no Observatório.

O projeto prevê que o Observatório se torne uma organização auto-sustentável, gerida por representantes de diversos segmentos sociais das próprias comunidades do entorno do empreendimento, com estatuto e regimentos aprovados em assembleia.

Fonte: Comunica
 

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A