Porto Velho (RO) terça-feira, 18 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Licença para BR-319 só sai após cumprimento de exigências ambientais, diz Minc


O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, afirmou hoje (2) que a licença ambiental para as obras da BR-319 só sairá quando forem cumpridas as exigências ambientais para compensar os impactos da obra, como a criação de 29 unidades de conservação na região do empreendimento. A rodovia, que liga Manaus (AM) a Porto Velho (RO), corta a região mais preservada da Amazônia.

Em entrevista ao Programa 3 a 1, da TV Brasil, Minc disse que manifestou uma posição contrária à construção da rodovia, mas que o governo decidiu pela obra. “Acho que uma ferrovia seria mais interessante, porque não abriria estradas vicinais, a chamada espinha de peixe. O governo decidiu fazer a estrada, então fizemos uma série de exigências ambientais e eu disse que se elas todas não fossem cumpridas, a licença não sairia. A questão continua no mesmo pé”, afrmou.

Segundo Minc, os compromissos internacionais de redução de emissões de gases de efeito estufa que o Brasil levará à 15° Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), em Copenhague, reforçam a necessidade de exigências para evitar o aumento do desmate na região.

O ministro também comentou outro licenciamento ambiental polêmico, o da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA), mas minimizou a pressão que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vem recebendo para autorizar a obra.

“Não é só com Belo Monte. Houve a mesma discussão com as usinas do Madeira, com as usinas do Tapajós. Mesma uma hidrelétrica com o melhor critério, que inunde uma área pequena, sempre vai haver uma população local que é contra, um ambientalista que é contra”, afirmou.

Minc falou sobre a expectativa para a COP-15, que começa na próxima segunda-feira (7). Ele disse que está mais otimista com os possíveis resultados da reunião, e que o Brasil influenciou de forma positiva outros países a anunciarem metas de redução de emissões de gases de efeito estufa.

Durante o programa, o ministro reafirmou a sua posição favorável à reformulação da política antidrogas. “Defendemos uma política preventiva, para que a questão seja tratada como questão de saúde pública para os usuários e dependentes”.

A entrevista completa será exibida a partir das 22h pela TV Brasil. O Programa 3 a 1 é apresentado pelo jornalista Luiz Carlos Azêdo. Participaram da entrevista com o ministro Carlos Minc os jornalistas João Domingos e Marta Salomon. 

Luana Lourenço/Agência Brasil

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Coopprojirau e Observatório ambiental visitam UHE Jirau

Coopprojirau e Observatório ambiental visitam UHE Jirau

A Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE) Jirau, mantém uma agenda de visitas institucionais que inclui os pr

Estudantes de engenharia visitam UHE Jirau

Estudantes de engenharia visitam UHE Jirau

Universitários conheceram algumas estruturas do empreendimento

Obras do Linhão de Machadinho e Buritis serão licitadas em Outubro

Obras do Linhão de Machadinho e Buritis serão licitadas em Outubro

Com o objetivo de conectar as cidades abastecidas de energia elétrica por usinas térmicas ao Sistema Interligado Nacional, a Eletrobras Distribuição R

Linhão vai interligar o Amazonas com as usinas de Rondônia e Pará

Linhão vai interligar o Amazonas com as usinas de Rondônia e Pará

As interligações previstas são as seguintes: a da Usina Hidrelétrica de Tucuruí, no Pará, com Parintins; a das usinas de Jirau e Santo Antônio, em Ron