Porto Velho (RO) quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Índios Kayapó realizam protesto contra construção de hidrelétrica no rio Xingu



Índios Kayapó estão para realizar um protesto contra a construção de uma enorme hidrelétrica prevista para o rio Xingu, um dos principais afluentes do rio Amazonas no Brasil.

A semana de protestos terá início no dia 28 de outubro na comunidade Kayapó de Piaraçú. Esperasse que pelo menos 200 indígenas se reúnam. Representantes do Ministério de Minas e Energia e Ministério do Meio Ambiente foram convidados para conversar com os indígenas.

Os Kayapó e outros povos indígenas se opõem à hidrelétrica, dizendo que eles não foram adequadamente consultados sobre o projeto e não foram informados sobre os impactos reais que a hidrelétrica terá em suas terras.

A hidrelétrica desviará mais de 80% do fluxo do rio Xingu e terá um grande impacto nas populações de peixes e florestas ao longo de um trecho de 100 km ao longo do rio habitado por povos indígenas. A Survival protestou contra o projeto ao governo.

Os Kayapó estão furiosos com Edison Lobão, Ministro de Minas e Energia, que recentemente declarou que "forças demoníacas" estavam impedindo a construção de grandes hidrelétricas no Brasil. O líder Kayapó Megaron Txucarramãe disse, ‘Essa palavra é muito feia. Foi uma ofensa para nós e para quem defende a natureza.’

Belo Monte é um dos maiores projetos de infra-estrutura do Programa de Aceleração de Crescimento do governo. Em 1989, os Kayapó organizaram um protesto em massa contra uma série de hidrelétricas planejadas para o rio Xingu. Eles pressionaram com sucesso o Banco Mundial para cancelar o financiamento do projeto, que foi então arquivado.

Planos para construção de hidrelétricas em outros rios da Amazônia também são alvo de protestos indígenas. Há um ano atrás, a tribo Enawene Nawe do estado de Mato Grosso saquearam um local de construção de uma hidrelétrica na tentativa de parar a construção de dezenas de barragens planejadas para o rio Juruena. Os índios dizem que as barragens arruinarão a pesca de que dependem.

Na Amazônia ocidental, a hidrelétrica de Santo Antônio, parte de um complexo de hidrelétricas a serem construídas no rio Madeira, inundará as terras de pelo menos cinco grupos de indígenas isolados. Acreditasse que um grupo vive apenas a 14 km do local da construção da barragem principal.

Em uma carta ao Presidente Lula, os Kayapó explicam a sua posição,

‘Desde os primeiros ensaios sobre a Usina na década de 80, os indígenas nunca tiveram opinião antagônica com a questão mas que forçam o desejo de que o empreendimento não venha destruir os ecossistemas e biodiversidade que milenarmente cuidamos e ainda podemos preservar. Sr. presidente, nosso grito fica registrado para que os estudos sejam bem executados e procurem discutir com os povos indígenas deste grande berço ecológico dos nossos antepassados….. Queremos participado do processo sem que ao menos sejamos taxados de ruins demoníacos que emperram a evolução do país.’

Stephen Corry, diretor da Survival, disse hoje, "O verdadeiro impacto das hidrelétricas foi ocultado As vidas, terras e sustento de muitas tribos serão destruídos caso eles sigam em frente com os planos de construção. Nenhuma forma de compensação poderá repor estragos desta magnitude que destruirão as vidas e independência de pessoas. 

Fonte: Survival International

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A