Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Furnas comemora 55 anos de trajetória


 

Em solenidade, presidente Flavio Decat destaca como meta da empresa evoluir dos atuais 23% de margem de EBTDA para 65% em três anos


Furnas comemorou 55 anos de história nesta terça-feira, 28/02, com a entrega da Medalha John Cotrim – fundador e primeiro presidente da empresa – a 100 personalidades e entidades que prestaram ou prestam relevantes serviços ao Brasil. Estiveram presentes na solenidade no Edifício Sede de Furnas, no Rio de Janeiro, o Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, o ex-ministro de Minas e Energia, João Camilo Penna, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim, e o diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico, Hermes Chipp.

Por mensagem, a presidente Dilma Rousseff reafirmou o seu compromisso com o desenvolvimento sustentável do país: “Nossa economia está sustentada em sólidos fundamentos e temos instrumentos para manter nossa trajetória de crescimento elaborada no fortalecimento do mercado interno, na geração de emprego, na distribuição de renda e nos investimentos. A redução da pobreza extrema permanece como compromisso central do meu governo. Conto com Furnas!”.

Em seu discurso, o presidente Flavio Decat, que completou este mês um ano de gestão à frente da empresa, comentou que “Furnas está em processo de intensas mudanças. Com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento, está promovendo uma completa reformulação para se ajustar ao novo modelo do setor elétrico.

Decat apontou ainda as metas traçadas por Furnas para os próximos anos. “Estamos seguindo um Plano Diretor que estabelece a manutenção do market share de Furnas e promove a recuperação econômica e financeira da empresa, evoluindo dos atuais 23% de margem de EBTDA para 65% em três anos”, revelou.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, destacou a importância da empresa para o desenvolvimento do Brasil. “Furnas tem prestado serviços significativos ao país. É responsável pelo fornecimento de 97% de energia no Distrito Federal, 92% no Rio de Janeiro, 91% no Mato Grosso, 81% no Espírito Santo, 61% em Goiás, 58% em São Paulo, 45% em Minas Gerais e 16% em Tocantins, com desempenho de confiabilidade de 99,99%. Somos a 6ª economia mundial e certamente vamos precisar da ajuda de Furnas para dobrar o estoque de energia nos próximos 12 anos”, disse Lobão.

Já o presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, destacou que a holding conta com Furnas chegar a 2020 como a maior empresa de energia elétrica renovável do mundo. “Ressalto o trabalho intenso de Flavio Decat, que lidera a modernização administrativa da empresa, implantando métodos coerentes com o novo modelo do setor elétrico brasileiro”, completou o presidente da Eletrobras.

Investimento em geração limpa e renovável
 

A comemoração dos 55 anos de Furnas coincide com uma guinada na diversificação de suas fontes de geração de energia: a empresa, conhecida por suas 15 usinas hidrelétricas, entra firme no segmento eólico com a construção de 17 parques nas regiões Norte e Nordeste do país em parceria com a iniciativa privada. Juntas, as centrais geradoras eólicas somam 437 MW de potência instalada.

“O Brasil tem previsão de crescimento da demanda por energia na ordem de 4,5% ao ano. Para levar essa energia até as casas das pessoas serão necessários cerca de 4.255 km de novas linhas de transmissão por ano. Furnas opera a espinha dorsal do sistema elétrico, um dos maiores do mundo, na região mais industrializada do país. Para dar conta dessa expansão, estamos investindo R$ 2 bilhões no reforço do nosso sistema de transmissão e mais de R$ 1 bilhão em novas fontes de energia limpa e renovável. Nosso compromisso é com o Brasil e com os brasileiros”, afirma Decat.

Paralelamente ao grande investimento em energia eólica, Furnas está construindo quatro novas hidrelétricas, que acrescentarão quase 5,5 mil MW ao Sistema Interligado Nacional, praticamente a metade da capacidade instalada atual da empresa (11,4 mil MW) e levarão energia para mais 14 milhões de brasileiros.

A empresa também aposta em estudos e iniciativas em fontes de energia solar, biomassa e das marés. Em conjunto com outras empresas, já foram investidos R$ 48 milhões em projetos de pesquisa e desenvolvimento para inserir a geração solar fotovoltaica na matriz energética brasileira, inclusive com a previsão de construção de uma usina fotovoltaica. As iniciativas em biomassa e na energia das marés estão em fase de estudos em parceria com universidades e centros de pesquisa.

Em linha com o processo de internacionalização da Eletrobras, Furnas vem intensificando a parceria com grandes empresas mundiais de energia. Em 2011 foram fechados acordos com as chinesas Three Gorges Corporation, para desenvolvimento de projetos na China e no Brasil, e State Grid, com quem Furnas arrematou empreendimentos no último leilão de transmissão.

A parceria com a alemã Fuhrländer viabilizou a aquisição de 437 MW em projetos de energia eólica no Norte e Nordeste do país. A encomenda de Furnas e seus parceiros vai possibilitar a construção da primeira fábrica de aerogeradores da empresa alemã em solo brasileiro.

Recentemente a empresa iniciou também entendimentos com a maior produtora e distribuidora de energia da França, a Electricité de France (EDF), por meio de seu braço de energias renováveis, para troca de experiências e desenvolvimento de tecnologia para geração de energia no Brasil e no exterior.


Fonte: Leonardo Cunha / CDN

 

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Sistema de transposição de peixes da UHE Jirau é referência

Sistema de transposição de peixes da UHE Jirau é referência

Sistema de Transposição de Peixes da UHE Jirau foi projetado pelos melhores especialistas no assunto

Coopprojirau e Observatório ambiental visitam UHE Jirau

Coopprojirau e Observatório ambiental visitam UHE Jirau

A Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE) Jirau, mantém uma agenda de visitas institucionais que inclui os pr

Estudantes de engenharia visitam UHE Jirau

Estudantes de engenharia visitam UHE Jirau

Universitários conheceram algumas estruturas do empreendimento

Obras do Linhão de Machadinho e Buritis serão licitadas em Outubro

Obras do Linhão de Machadinho e Buritis serão licitadas em Outubro

Com o objetivo de conectar as cidades abastecidas de energia elétrica por usinas térmicas ao Sistema Interligado Nacional, a Eletrobras Distribuição R