Porto Velho (RO) sábado, 23 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Fórum Alternativo da Água protesta contra a construção de represas



Obra de Jirau, em Rondônia, é um dos alvos dos manifestantes europeus.
Evento acontece em Marselha, paralelamente ao Fórum Mundial da Água
.


 

O Fórum Alternativo Mundial da Água começa nesta quarta-feira (14) em Marselha, no sul da França com um pedido de gestão pública da água. O evento, que será concluído no sábado, é realizado em paralelo ao Fórum Mundial da Água, onde participam, sobretudo, responsáveis governamentais e grandes empresas da água, assim como profissionais e cientistas, para discutir uma melhor repartição e gestão.
 

Os manifestantes que organizam o evento alternativo protestam contra a construção de grandes represas, como a de Jirau, em Rondônia, que consideram "nefastas" para as populações locais e o planeta.
 

Simulando um rio que representa a vida e uma grande represa inflável que inunda as terras e mata a população e o gado, uma centena de ativistas denunciou a construção de represas em um ato na estação central de metrô de Marselha.
 

Os militantes das associações Ecologistas em Ação e Engenharia Sem Fronteiras explicaram que pretendiam chamar a atenção "sobre o impacto social e no ecossistema da construção de grandes reservatórios, como os que estão projetados na Patagônia chilena".
 

Estas represas "são projetos extremamente caros, que inundam grandes extensões de terras cultivadas e bosques e significam a destruição irreversível de aldeias inteiras e dos meios de subsistência de milhares de pessoas", disse a espanhola Lidia Serrano.
 

"Além disso, não são projetos 'verdes', como dizem seus promotores, mas aceleram as mudanças climáticas", acrescentou a ativista que participou do protesto, no qual militantes agitavam cartazes onde era possível ler: "A água, como a vida, não é uma mercadoria".
 

O ato no centro de Marselha foi organizado por ocasião do "Dia mundial dos rios e contra as represas", proclamado pela organização Amigos da Terra, e para coincidir com a abertura do Fórum Alternativo Mundial da Água, que reúne a sociedade civil com a meta de "debater e construir alternativas que deem soluções à crise da água".
 

As associações ecologistas denunciaram que a represa de Jirau, que está sendo construída pela GDF Suez (da qual o Estado francês é acionista em 36%) sobre o rio Madeira, é um projeto "colossal, que ameaça várias comunidades locais e seus meios de subsistência".
 

"Em vez disso, existem outras técnicas que permitem produzir uma energia que responda às necessidades da população, como a energia solar térmica, geotérmica, eólica", afirma a associação "Apenas um planeta", presente em Marselha para o Fórum Alternativo da Água.
 

Por isso, os ecologistas convocam as grandes instituições financeiras multilaterais, como o Banco Europeu de Investimento, a "reorientar seus investimentos em direção a alternativas que respeitem mais as pessoas e os ecossistemas", em vez de "financiar grandes represas cuja produção está destinada, sobretudo, a fins industriais".
 

As metas definidas pelo Fórum Alternativo da Água são "avançar na implementação do direito humano à água em nível nacional e regional", propor "formas públicas na gestão da água, contrapondo-se à privatização da gestão da água proposta pelo Fórum oficial", e "propor uma transição em direção a outro modelo de desenvolvimento".

Fonte:  PORTAL G1 com informações da Agência AFP

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A