Porto Velho (RO) domingo, 15 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energias renováveis no transporte contribuem para maior sustentabilidade do planeta


Criar a possibilidade de uso mais efetivo de energias renováveis na área de transporte é algo fundamental no contexto da sustentabilidade. O assunto está sendo discutido, nesta sexta-feira (15), em um dos eventos da Rio+20, no Parque dos Atletas – o encontro Megacidades 2012 – Transporte, Energia e Desenvolvimento Urbano, organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha e outros parceiros. “Mobilidade precisa de energia – Energia cria mobilidade” é o nome de um dos paineis de debate.
 

O diretor de energia da companhia Light, Evandro Vasconcelos, destacou que a mobilidade urbana é um tema fundamental a ser tratado em uma conferência mundial que aborda questões ambientais. E, nesse contexto, a discussão sobre energia precisa ser priorizada. “O transporte consome de 23% a 25% de toda energia produzida no planeta. Para se transportar o ser humano, gasta-se mais energia do que para produzir qualquer outra coisa. E 90% da energia utilizada no transporte vem do petróleo”, afirmou. Por isso, segundo ele, a discussão sobre sustentabilidade passa necessariamente por mobilidade, e é preciso abordar que tipo de energia está produzindo esse fenômeno. “Transporte e energia são temas completamente essenciais nessa conferência”, acredita.
 

Vasconcelos defendeu algumas situações que, na opinião dele, são entraves para a chegada do veículo elétrico a alguns países. “Brasil, Canadá e Noruega têm energia limpa, enquanto outros que produzem tecnologia do transporte têm a matriz elétrica muito suja. Não interessa a eles, economicamente, o carro elétrico. Enquanto esses países não produzirem energia elétrica renovável e limpa, não vamos ter incentivo para o desenvolvimento de tecnologia para o transporte baseada em energia elétrica”, avalia Vasconcelos.
 

Ele afirmou que a despesa com um carro elétrico pode custar cerca de um quinto do que se gasta com um carro a combustível, como gasolina ou óleo diesel. O problema, segundo ele, é que o carro elétrico ainda é extremamente caro. “O investimento inicial é muito grande, mas a despesa depois é menor. Tem que haver então o desenvolvimento de um carro mais barato”, analisa. Segundo o diretor da Light, é necessário evoluir tecnologicamente no desenvolvimento de baterias, porque as que existem atualmente ainda apresentam pouca autonomia.
 

O subsecretário de Energia, Logística e Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro, Marcelo Vertis, disse que um resultado poderá ser positivo, em relação ao setor de transportes, se a conferência possibilitar a troca de informações sobre tecnologias eficientes. “A expectativa é a redução do teor de carbono das emissões. E o setor de transporte tem uma participação de peso nisso. As alternativas aos combustíveis fósseis precisam ser intensificadas nos próximos anos, e a conferência pode contribuir com a troca de informações”, finaliza.

 

Site especial

Acesse a página que a CNT e o Sest Senat desenvolveram para divulgar as principais notícias de transporte durante a Rio+20. No endereço, estão disponíveis peças publicitárias e publicações exclusivas relacionadas ao setor de transporte e ao meio ambiente, além de vídeos do Despoluir – Programa Ambiental do Transporte da CNT.

 

Fonte: Cynthia Castro
Agência CNT de Notícias

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Energia Sustentável do Brasil assina termo de compromisso com ICMBio para investimento em unidades de conservação na Amazônia

Duas unidades de conservação na Amazônia receberão investimentos da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE)

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

Teste de autorrestabelecimento é feito com sucesso na UHE Jirau

As Unidades Geradoras (UG) são desligadas para simular um apagão

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

SPIC - Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

Mais de 940 mil m³ foram dragados do rio Madeira em 2018

O processo consiste em escavar o material que está obstruindo o canal de navegação e bombear o volume a pelo menos 250 m de distância desse canal.A