Porto Velho (RO) sexta-feira, 21 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional - Gente de Opinião

Energia e Meio Ambiente - Internacional

Brasil ainda não chegou ao 'fundo do poço' na crise, diz OCDE



Dados divulgados nesta segunda-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) já apontam "pontos de inflexão" que indicam uma melhora no cenário econômico de alguns países - mas não no Brasil.

BBC Brasil

Em suas projeções para os próximos meses, enquanto a organização já vê o "fundo do poço" para a zona do euro, o Canadá e a China, por exemplo, as previsões para o Brasil ainda indicam "forte desaceleração".

Entretanto, um porta-voz da OCDE explicou à BBC Brasil que a razão disto pode ser simplesmente estatística.

É que o acompanhamento econômico, feito pelo chamado índice composto ou CLI, tenta antecipar em cerca de seis meses o comportamento das economias industrializadas. Mas o período é mais curto para Brasil, Índia, China e Rússia, que não fazem parte da organização.

Em todo caso, a organização evitou grandes demonstrações de otimismo e disse que "ainda é muito cedo" para avaliar se os pontos de inflexão observados são apenas "temporários ou mais duradouros".


Resultados

Entre março e abril, o CLI subiu nos principais países industrializados acompanhados. Entretanto, só em alguns a OCDE considerou que a crise pode ter chegado ao seu ápice, porque estes já vinham registrando altas no indicador.

Este foi o caso do Canadá (+0,4% entre março e abril), França (+1,2%), Itália (+2,1%) e Reino Unido (+0,7%). A crise também teria chegado ao seu ápice na zona do euro, no grupo das cinco maiores economias da Ásia (China, Índia, Indonésia, Japão e Coreia do Sul) e nos países do G7.

Porém, o economista da OCDE Gyorgy Gyomai ressaltou que o fundo do poço "não significa necessariamente uma recuperação".

"É a situação mais provável, mas ainda é muito cedo para afirmar", disse.

Já nos EUA, na Alemanha e no Japão, onde o CLI indicou alta em abril (+0,2%, +0,1% e +0,1 respectivamente), o cenário ainda é de "desaceleração" no horizonte de um semestre.


Brasil

Segundo o relatório, o CLI do Brasil caiu 0,7% entre os meses de março e abril - um ritmo que equivale a uma "forte desaceleração" pelos critérios da OCDE.

O nível de atividade econômica medido pelo índice em abril está 12,8% abaixo do registrado no mesmo mês do ano passado.

"O fato de ainda não vermos um fundo do poço para a crise no Brasil não significa que isto não aconteça até o fim do ano", disse Gyomai. Se isto ocorrer, ele explicou, o fenômeno só será detectado nos próximos meses.

Outro país que registrou queda no CLI foi a Rússia (-0,3% em abril, ou 21,3% abaixo do mesmo mês de 2008), que também vive uma "forte desaceleração" segundo a OCDE.

Na Índia, onde houve uma leve melhora em abril (+0,4%), o cenário ainda é desaceleração nos próximos meses.

Apenas na China, cujo CLI registrou alta de 0,9% em abril, a crise pode estar chegando ao seu ápice, disse a OCDE.

 

Mais Sobre Energia e Meio Ambiente - Internacional

Comissão da ALE aprova projetos que retiram incentivos das usinas do Madeira

Comissão da ALE aprova projetos que retiram incentivos das usinas do Madeira

Comissão também analisou outros projetos que seguem para votação em Plenário...

Sistema de transposição de peixes da UHE Jirau é referência

Sistema de transposição de peixes da UHE Jirau é referência

Sistema de Transposição de Peixes da UHE Jirau foi projetado pelos melhores especialistas no assunto

Coopprojirau e Observatório ambiental visitam UHE Jirau

Coopprojirau e Observatório ambiental visitam UHE Jirau

A Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina Hidrelétrica (UHE) Jirau, mantém uma agenda de visitas institucionais que inclui os pr