Porto Velho (RO) quinta-feira, 27 de junho de 2019
×
Gente de Opinião

Economia

O que é renda fixa?


O que é renda fixa? - Gente de Opinião

Uma pessoa precisa de dinheiro emprestado, e em troca desse dinheiro ela se compromete a pagar o valor de volta em um certo prazo, somando ao montante uma quantia determinada de juros. É, de de forma resumida, disso que se tratam os investimentos de renda fixa. São títulos emitidos por bancos, empresas, ou pelo governo que tem se popularizado bastante nos últimos anos.

A categoria de investimentos de renda fixa é composta por um grande número de ativos. O que eles têm em comum é o baixo risco. Isso faz com que sejam mais escolhidos pelos investidores de perfil conservador, que têm menos tolerância a perdas. Abaixo seguem listadas algumas características e vantagens deste tipo de investimento.

Há riscos na Renda fixa?

Todo investimento possui algum grau de risco, mas a renda fixa contém os ativos com riscos mais baixos. Isso é possível pois os rendimentos são atrelados a uma porcentagem fixa estabelecida pelo emissor ou ao percentual de um determinado índice.

Os investimentos de renda fixa contam com garantias. No caso dos títulos do Tesouro Direto, a garantia é o próprio governo. Isso faz dos papéis do Tesouro o investimento mais seguro do país. Já os títulos privados podem ter a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que em caso de calote, pagam até o teto de R$ 250 mil por CPF por instituição financeira.

Qual o rendimento da renda fixa?

Os títulos de renda fixa podem ter o rendimento prefixado, pós-fixado ou misto.

Ele é prefixado quando o rendimento é uma taxa de juros preestabelecida. Já o pós-fixado possui rendimento atrelado a um índice, como o IPCA (relacionado ao preços dos produtos ao consumidor) ou à taxa Selic (meta de juros determinada pelo Banco Central). A rentabilidade é mista quando somam-se os dois tipos anteriores. Por exemplo: rendimento de IPCA + 4% de juros.

O investidor deve notar ainda que o rendimento real de seus investimentos será o resultado da rentabilidade do título menos a inflação no período, impostos e taxas. O Imposto de Renda incide na maior parte dos investimentos de renda fixa, e a alíquota varia de 15% a 22,5%, conforme o tempo que o dinheiro ficar investido. Quanto mais tempo aplicado, menos imposto de renda se paga.

 

Os principais ativos de renda fixa

Tesouro Direto

Quem investe no Tesouro Nacional está emprestando dinheiro ao governo federal em troca de uma remuneração. É possível começar a investir nos títulos do Tesouro Direto com aproximadamente R$ 30 e ainda escolher o tipo de rentabilidade do investimento, que pode ser prefixada, pós-fixada ou mista. Os títulos do Tesouro Direto preveem cobrança de imposto de renda.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é uma aplicação na qual os títulos são emitidos pelas instituições financeiras, tendo como objetivo a captação de recursos para o setor bancário. Tal como acontece com os títulos do Tesouro Direto, aplicando no CDB, o investidor receberá o valor aplicado corrigido mais os juros, que costumam ser calculados sobre uma porcentagem do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). O indicador refere-se aos juros cobrados entre instituições financeiras e costuma ser um índice próximo da taxa Selic, mas também pode ser atrelado a outros índices. No CDB também há cobrança de imposto de renda.

LCI/LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) são títulos de renda fixa emitidos por bancos e, normalmente, têm a rentabilidade atrelada ao CDI, assim como o CDB. O diferencial da LCI e da LCA é que são investimentos isentos de imposto de renda.

Fundos de Renda Fixa

Os fundos de renda fixa, apesar de serem classificados como fundos de investimento, são compostos por pelo menos 80% de ativos de renda fixa. Por isso, o rendimento do fundo segue a média de rendimentos dos ativos dessa categoria. Os fundos de renda fixa podem cobrar uma taxa de administração, que varia de 1% a 3% ao ano. Além disso, também preveem cobrança de imposto de renda.

 

Mais Sobre Economia

Sistema OCB/SESCOOP – RO promoverá edição do Dia C, em Ji-Paraná

Sistema OCB/SESCOOP – RO promoverá edição do Dia C, em Ji-Paraná

Atitudes simples movem o mundo! Esse é o principal propósito do Dia de Cooperar – Dia C, programa de responsabilidade social de iniciativa do Sistema

Novo Heuro, que vai substituir Pronto-Socorro João Paulo II, é tema de reunião entre Estado e TCE

Novo Heuro, que vai substituir Pronto-Socorro João Paulo II, é tema de reunião entre Estado e TCE

A construção do novo Hospital de Emergência e Urgência de Rondônia (Heuro), em Porto Velho – cujas obras ganharam força com recursos no valor de R$ 50

TCE emite parecer pela aprovação das contas/2014 e alerta para questão previdenciária de Rondônia

TCE emite parecer pela aprovação das contas/2014 e alerta para questão previdenciária de Rondônia

Em sessão especial realizada na última quarta-feira (19) o Plenário do Tribunal de Contas de Rondônia (TCE-RO) emitiu parecer favorável, com ressalv

Fundação Abrinq convida para seminário

Fundação Abrinq convida para seminário

O Sebrae em Rondônia é um dos apoiadores dos eventos realizados pela Fundação Abrinq pelos direitos da criança e do adolescente. Como parceiro da Fu