Porto Velho (RO) terça-feira, 19 de janeiro de 2021
×
Gente de Opinião

Cultura

Minissérie contará epopéia acreana


Agência Amazônia - CHICO ARAÚJO

Uma viagem a um passado de lutas e glórias. Esse é o primeiro sentimento que se tem ao ver as cidades cenográficas construídas em Porto Acre e Rio Branco, no Acre, para a minissérie Amazônia: De Galvez a Chico Mendes. A produção, que tem Glória Perez como autora, vai ao ar dia 2 de janeiro pela TV Globo.

A minissérie retratará a história da Amazônia e seus povos. Mostrará como o hoje Estado do Acre se tornou território brasileiro. A trama, que começa no final de 1899, abordará três fases distintas da conquista. Serão contados 100 anos de história. Luiz Galvez de Arias, José Plácido de Castro e o ecologista Chico Mendes, assassinado de 22 de dezembro de 1988, são personagens principais da minissérie.

Quem já viu os cenários é enfático em dizer que Amazônia será uma produção para encher de "constância e valor" o peito de cada acreano, e também dos brasileiros, como bem anuncia o Hino Acreano. A minissérie vai começar abordando o período áureo da borracha, conta Gloria Perez. A autora vai mostrar ao Brasil que, em plena era industrial, apenas a região amazônica produzia borracha no mundo, o que despertou o interesse e a cobiça de outros países pelo território que hoje é o Acre.

Glória Perez mostrará como foi a conquista do Acre por meio dois tipos de famílias: a dos seringueiros e a dos seringalistas. Enfim, a trama será uma viagem a fundo na cultura e na história acreanas. Tudo porque em Amazônia vai mostrar os conflitos e a vida de riqueza e luxo dos seringalistas. Uma das histórias a ser contada é a do coronel Firmino, casado com don Júlia, pai de Tavinho e Augusto.

Na trama, o ator José Wilker viverá o papel do aventureiro espanhol Luiz Galvez. A história nos conta que Galvez se apaixonou pela causa da região a ponto de criar o Estado Independente do Acre. A segunda fase abordará a decadência da borracha e, a terceira, o período histórico mais atual, a partir de ecologista Chico Mendes. 

Carinho do povo

 No blog que mantém sobre a minissérie, a autoria Glória Perez relata quase que diariamente o andamento da produção. A última postagem, intitulada Reconstruindo o passado, é do dia 4. Nela, além de apresentar belíssimas fotos das cidades cenográficas, Glória Perez descreve o carinho dos acreanos para com as pessoas envolvidas na produção de Amazônia.

"Estamos em solo acreano, com muito orgulho. Fomos recebidos com todo o carinho pelo povo acreano, por todas as pessoas de um modo geral. Nossas gravações aqui simbolizam toda a trajetória da história amazônica", comenta.  A autora relembra, no comentário, um pouco da epopéia que foi a conquista do Acre.

 "Cá estamos no Acre, tantas décadas depois, para contar essa história. O Acre é um estado com um índice de preservação florestal muito grande. A parcela desmatada é pequena, proporcionalmente. Aqui construímos uma cidade cenográfica que remonta ao local onde os fatos se sucederam originalmente. Como você pode ver nestas fotos, é realmente uma construção imponente, épica, espetacular e que traduz aquela clarividência do Galvez visionário, que era idealista, além de aventureiro".

Mais Sobre Cultura

Podcast PPKast discute arte na pandemia

Podcast PPKast discute arte na pandemia

Na próxima sexta-feira, dia 15 de janeiro, o PPKast - podcast portovelhense produzido e apresentado por mulheres, discute os desafios de produzir arte

Trabalhadores da cultura que não receberam auxílio pela Lei Aldir Blanc são convocados a atualizar dados pessoais

Trabalhadores da cultura que não receberam auxílio pela Lei Aldir Blanc são convocados a atualizar dados pessoais

Na expectativa de atender o mais rápido possível os profissionais da cultura e arte, o Governo de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual da J

Cantora amazonense Gabi Farias lança videoclipe da faixa “Só”

Cantora amazonense Gabi Farias lança videoclipe da faixa “Só”

"Só" não é sobre ser sozinho, é sobre se ver. E foi assim que em meio a tantas reflexões e incertezas, Gabi Farias chegou em um ponto de reinvenção. O

Recurso emergencial referente a Lei Aldir Blanc vai beneficiar cerca de 400 trabalhadores do segmento cultural em Rondônia

Recurso emergencial referente a Lei Aldir Blanc vai beneficiar cerca de 400 trabalhadores do segmento cultural em Rondônia

Com a chegada do recurso emergencial avaliado em R$ 18 milhões, através da Lei Federal Aldir Blanc, n° 14.017 , o Governo de Rondônia, por meio da Sup