Porto Velho (RO) terça-feira, 23 de outubro de 2018
×
Gente de Opinião

Cultura

Escola Estadual Tancredo Neves vai representar em Concurso


 
Escola Estadual Tancredo Neves vai representar
Rondônia no Concurso Nacional “Faça Parte”

Escola Estadual Tancredo Neves vai representar em Concurso - Gente de OpiniãoImplantar o projeto “Dançando na Escola”  na Escola Estadual Tancredo Neves, no bairro Caladinho, não foi uma tarefa fácil. A falta de um espaço para o ensaio das danças, pois a escola ainda não tem auditório, não impediu que meninas e meninos de 5ª à 8ª séries colocassem em prática os primeiros passos. O “Dançando na Escola” começou ainda em 2005, durante uma apresentação de talentos da escola, no projeto Festa da Família. A idéia veio da necessidade de proporcionar um pouco de lazer aos alunos que apresentavam baixo aproveitamento em relação às notas. A infrequência era outro problema que preocupava professores e a direção da escola. “A idéia que nós tínhamos era resgatar a auto estima destes meninos e também proporcionar uma atividade extra classe, já que a comunidade é muito carente e quase não há opções de lazer”, justifica a coordenadora do projeto, professora Dulcilene Saraiva.

O projeto “Dançando na Escola” começou com 15 alunas, sob a orientação incansável do professor Edson Teixeira, voluntário do projeto. Um dos requisitos do concurso é que tenha a participação de voluntários. Hoje o grupo é formado por cerca de 50 alunos. Filhos de famílias carentes, meninos e meninas que quase não tem a companhia dos pais que precisam trabalhar fora o dia todo. Muitos dele tiveram uma grande melhora desde que começaram a participar do projeto, melhoraram as notas e estão menos agressivos.

Os alunos são os principais protagonistas, mas como ninguém faz nada sozinho, o projeto “Dançando na Escola” tem um apoio essencial, a família dos alunos. Os pais falam sempre com muito orgulho, dos filhos que se tornaram mais interessados na escola e até mais responsáveis. “Desde que a minha filha começou a participar do projeto ela melhorou muito nas notas, no comportamento, ficou mais tolerante e mais interessada pela escola” diz Francinei da Silva Vasconcelos, artista plástico e pai da aluna Danielle Lira Vasconcelos da 8ª série e que já está no projeto há dois anos.

O efeito positivo

As aulas de dança acontecem fora do horário de aula, na sala de audiovisuais,  três vezes por semana. Para fazer parte do projeto tem que ter a autorização dos pais, freqüência total nas aulas e média 7,0 em todas as disciplinas. As regras são uma forma de disciplinar os participantes. O aluno não pode ser envolvido em conflitos, como brigas na escola, nem na família. A ordem e a disciplina são mantidas pela direção da escola, coordenadores e voluntários do projeto durante cinco horas semanais. O resultado tem sido muito bom.  O índice de freqüência e aprendizagem melhoraram, assim como o nível cultural, a postura dos alunos e o respeito com todos. “É interessante agente comparar o comportamento dos meninos desde que o projeto começou. As mudanças provocadas em cada um é um sinal de que o projeto fez muita diferença na vida deles e nós ficamos felizes por estarmos contribuindo na formação destes cidadãos” diz o voluntário Edson Teixeira.

Agenda cheia

 Uma das compensações para alunos e professores, é que o projeto se tornou uma das vitrines da escola Tancredo Neves. Constantemente, o grupo do “Dançando na Escola” é convidado a participar de eventos sociais e artísticos. Em 2006 os participantes venceram um Festival de danças promovido pelo Governo do Estado. O grupo também funciona como um incentivo aos alunos que querem fazer parte do projeto e procuram melhorar as notas e a freqüência que é o primeiro objetivo do Dançando na Escola.

Fonte: Nara Vargas
Fotos: Arquivo Escola

Mais Sobre Cultura

COLCHA DE RETALHOS DA ELEIÇÃO - Por Lúcio Albuquerque

COLCHA DE RETALHOS DA ELEIÇÃO - Por Lúcio Albuquerque

URNASNo turno houve denúncias de urnas que teriam sido violadas. Agora, corre à boca pequena que pode haver “urnas emprenhada” – um termo que represen

Wankabuki lança campanha de financiamento coletivo

Wankabuki lança campanha de financiamento coletivo

O Grupo de Teatro Wankabuki, sediado no município de Vilhena (RO), lançou através da plataforma Catarse, uma nova campanha de financiamento coletivo p