Porto Velho (RO) quinta-feira, 18 de outubro de 2018
×
Gente de Opinião

Cultura

Cremero promove curso sobre ética médica a residentes


Na noite desta quinta-feira (02), pelo menos 23 médicos residentes estiveram na sede do Conselho Regional de Medicina de Rondônia, na avenida Costa e Silva, em Porto Velho, onde participaram da primeira de uma série de aulas sobre ética médica promovidas pelo Cremero. O curso tem duração de cinco semanas, e é realizado sempre às quintas-feiras, a partir das 19h.

Para discorrer sobre o assunto a direção do Conselho designou conselheiro José Ferrari – médico oncologista e coordenador do curso de medicina da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Além de José Ferrari, a primeira aula contou com a participação do conselheiro federal e tesoureiro do Conselho Federal de Medicina (CFM), Hiran Gallo, que falou aos residentes sobre o papel do CFM e dos CRMs na sociedade. A vice-presidente do Cremero, médica Inês Motta, fez a abertura da aula inaugural e recepcionou os convidados.

Antes abordar o assunto principal de sua exposição, José Ferrari fez um breve resumo sobre ética e moral com uma abordagem filosófica e científica sobre o tema. Ferrari disse que o objetivo dessas aulas é fazer o médico perceber que o código de ética não é uma imposição de leis, mas um lembrete do que é certo ou errado. “O código de ética tem por objetivo apenas recordar o que o médico deve ter aprendido em casa, na escola ou na igreja”, comenta.

Criado em 1928 o Código de Ética Médica é composto de 145 artigos. A maioria fala sobre as responsabilidades do médico. Apesar de já ‘ser conciso e altamente coerente’ o Código de Ética é discutido e reavaliado periodicamente pelo CFM, segundo revelou o conselheiro federal José Hiran Gallo. “A intenção do Código não é meramente punir o médico ou restringi-lo, mas garantir um atendimento médico eficaz e de qualidade à população”, enfatizou Hiran.

Na ocasião, Hiran Gallo atentou também para o problema do número excessivo de faculdades em todo o País sem a menor condição de funcionamento e a questão de brasileiros que se formam na Bolívia e que não são reconhecidos como médicos no Brasil. “Assim como o Código de Ética, o CFM e os CRMs existem para inibir a prática ilegal da medicina e defender a população de profissionais desqualificados para o exercício da medicina”.

A realização do Curso de Educação Continuada e a implantação do pólo de Telemedicina em Rondônia também foi citado por Hiran Gallo. Segundo ele, o CFM já liberou R$ 50 mil para a aquisição da aparelhagem que será usada no programa de telemedicina e telesaúde.

Fonte: Cremero

Mais Sobre Cultura

Wankabuki apresenta peça “À Margem” em três cidades de Rondônia

Wankabuki apresenta peça “À Margem” em três cidades de Rondônia

O Grupo de Teatro Wankabuki, de Vilhena (RO), realizará entre os dias 17 e 26 de outubro uma série de apresentações da peça “À Margem” nos municípios

Professor Aleks Palitot doa livros para escola municipal infantil

Professor Aleks Palitot doa livros para escola municipal infantil

Na tarde de quinta-feira (11), o Professor Aleks Palitot visitou a Escola Municipal de Educação Infantil Prof.ª Ronilza Cordeiro Afonso Dias, na Zona

SESC abre inscrições para exposição  e oficina de fotografia em Porto Velho

SESC abre inscrições para exposição e oficina de fotografia em Porto Velho

A exposição será realizada na rua Euclides da Cunha, com inscrições e impressões gratuitas no formato lambe-lambe