Porto Velho (RO) sexta-feira, 7 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Sandra Castiel

NESTE NATAL E NESTE ANO QUE ORA SE FINDA!



Neste Natal e neste ano que ora se finda, ponho-me a pensar, assim como tantas pessoas devem fazer,  nos momentos mais marcantes de minha existência ao longo de mais esses  365 dias: tenho uma vida comum, vida esta compatível com a banalidade de minha própria persona e em nada me diferencio  da grande massa de pessoas que constitui a humanidade: erros e acertos (mais erros do que acertos), saudades de natais longínquos, de entes queridos que não estão mais aqui e os medos, medos que comumente  saem do armário quando a luz se apaga e sinto percorrer-me a espinha o gelo da fragilidade de uma mulher de minha idade (doença grave, perdas, demência e exclusão, entre tantos outros medos). Felizmente sou tomada pela lucidez de que não hei de me deixar levar por esses temores, afinal, que venham outros natais e a velhice! Não há como negar que a velhice vem acompanhada de seu cortejo de horrores. Porém, e isto é reconfortante, traz consigo as flores da sabedoria, da elevação dos sentimentos, da capacidade de perdoar, de deixar para trás as mágoas da juventude...Traz consigo a alegria de cada segundo vivido; traz consigo um olhar novo sobre o mundo, um olhar de (re) descobertas das belezas da criação; traz consigo o discernimento de que o tempo é agora e há que ser vivido da melhor maneira possível; traz consigo certa paz que possibilita a liberdade de apenas deixar-se estar; traz consigo a confiança de que não estaremos sozinhos jamais pois nosso  universo interior, o universo de uma vida vivida, preenche–nos a mente e planta um sorriso em nosso rosto; traz consigo a certeza de que há que se cultivar a fé na inteligência superior que torna tudo isso possível; traz consigo a convicção de que a vida não é obra do acaso; traz consigo a placidez que se haverá de ter quando chegar a hora do fim.   

Noutro dia, li um artigo (científico) sobre o tempo: o tempo do ser humano seria o passado e o presente; o passado parece melhor porque guardamos dele as lembranças mais doces, e nosso cérebro tem a capacidade de modificar favoravelmente essas lembranças; isso ocorre sem que nos demos conta.  Segundo esse estudo científico, a duração do tempo presente é de apenas três segundos, tempo que leva a memória para processar o que naquele momento considera importante registrar. Concordo plenamente.

Neste Natal e neste final de ano,  no aconchego do lar, ponho-me a pensar nas pessoas que não têm uma casa para voltar ao fim do dia; ponho-me a pensar nos desvalidos do mundo: os viciados, os moradores de rua, as prostitutas, os presidiários; ponho-me a pensar nas pessoas que enfrentam  problemas terríveis como doenças muito graves e vivem seus dias em leitos de hospitais; ponho-me a pensar nas crianças enfermas, doentes de câncer, cabeças raspadas e sorriso nos lábios; ponho-me a pensar nas criancinhas recém-nascidas, tão indefesas, a lutar pela vida nas UTI’s neonatais; ponho-me a pensar nos idosos que são deixados em asilos e vivem a esperar por uma visita que raramente ou nunca chega; ponho-me a pensar nas pessoas desempregadas e endividadas que precisam sustentar suas famílias; ponho-me a pensar nos habitantes dos países que vivem em eterno conflito, nas crianças ensanguentadas, violentadas e famintas, pessoas que se lançam aos mares em busca de vida em lugares distantes dos seus;  ponho-me a pensar  em nosso próprio país, na ganância, na usurpação, na falta de solidariedade para com os necessitados. A cada dia que se inicia, e especialmente neste Natal e nestes momentos do ano que ora se finda, oro por todos! Penso na grandiosidade do significado do Natal e nos valores semeados por Jesus, o espírito mais puro que viveu entre nós; ensinamentos marcados com seu próprio sangue.  

Desejo a todos, sobretudo aos leitores, um Natal e um ano novo de muita reflexão sobre o que realmente é importante nesta existência: paz, compaixão para com o próximo e gratidão a Deus pelo presente da vida.

Feliz Natal! Feliz 2017!

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Sandra Castiel

Dr. Paulo Gondim: Missão de Vida

Dr. Paulo Gondim: Missão de Vida

Em meio à insegurança que temos vivido pela pandemia que assola o mundo, ponho-me a pensar nas demais doenças com as quais as populações convivem e

Ensaios Literários sobre Poetas de Rondônia -  Parte II

Ensaios Literários sobre Poetas de Rondônia - Parte II

   A proposta deste trabalho é revelar ao público-leitor a beleza da poesia produzida pelos poetas que aqui vivem. Estamos falando sobre pessoas apa

Ensaios Literários sobre Poetas de Rondônia -  Parte I

Ensaios Literários sobre Poetas de Rondônia - Parte I

Descobri o amor pela poesia, ainda criança, no Grupo Escolar Barão do Solimões, em Porto Velho. Naquela época, os livros de leitura eram obrigatório

Neste último dia do ano! ...

Neste último dia do ano! ...

Último dia do ano: comemorações, fogos, champanhe, ceia, abraços, troca de votos de saúde, alegrias, prosperidade para o novo ano. Isto é tão humano