Porto Velho (RO) sexta-feira, 30 de julho de 2021
×
Gente de Opinião

Samuel Castiel Jr

A VACINA


A VACINA - Gente de Opinião

Em época de pandemia tudo fica mais difícil, mas principalmente para o idoso. Depois de uma quarentena cruel e monótona, o idoso já se encontra no seu limite físico e mental. Sente dores em todos os músculos e articulações. As artroses e artrites quase os matam. A mente entediada começa a dar sinais germânicos do Alzheimer. Mas, como está no grupo de risco, tem a gloria de ser do grupo prioritário. E assim consegue tomar a primeira dose. Porém, em que pese a sua satisfação pessoal, na realidade, tudo continua igual:  tem que continuar no isolamento social, usar álcool em gel, tomar os polivitamínicos e ferro todos os dias. Mas, finalmente, sua esposa também idosa, claudicante e cheia de limitações articulares, chega com a notícia: 

--- Oriovaldo, vamos levantar bem cedo amanhã pois é o dia da nossa segunda dose. Finalmente, ficaremos imunes ao corona.

     Às 5 horas da manhã o casal de idosos se levanta, e se prepara para sair tomando apenas um café às pressas, pois a fila deverá  ser longa!

     Ao chegar no local, a fila já dobrava o quarteirão. Os velhinhos, velhotes  e velhões, todos com máscaras e conversando animadamente como se fossem receber a senha para o céu! Alguns com os olhares indecisos, perdidos, a maioria  de óculos escuros, bengalas ou cadeiras de rodas, mas sempre bem falantes e claudicantes. Uma visão interessante não fosse trágica! Ter que passar por mais essa no declínio de toda uma existência!...

     Mas o pior ainda estava para vir para o seu Oriovaldo e sua esposa!

 ---O senhor vai nos desculpar, seu Oriovaldo, porém a vacina acabou!!!

(*) Médico, poeta, contista e músico

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Samuel Castiel Jr

A pescaria "Nunca se deve cutucar onça ( ou cobra ) com vara curta."

A pescaria "Nunca se deve cutucar onça ( ou cobra ) com vara curta."

As águas frias e  límpidas,  como um espelho, refletiam  as  nuvens  do céu e as  frondosas arvores da mata verde. O   barco   rasgava    essa    supe

Nos tempos do corona

Nos tempos do corona

Ele era médico da imagem, mas também misófobo. Aliás, fez especialização em radiologia, depois fez ultra-sonografia e ressonância magnética, pois assi

O ESTRANGULAMENTO DA ÚLTIMA FLOR DO LÁCIO

O ESTRANGULAMENTO DA ÚLTIMA FLOR DO LÁCIO

Quando o poeta brasileiro Olavo Bilac ( 1865-1918 ) escreveu seu soneto “Lingua Portuguesa”, no primeiro verso , ele diz  “ Ultima flor do Lácio

MEMÓRIAS ATEMORIZANTES

MEMÓRIAS ATEMORIZANTES

Acho que muitos medrosos deveriam deitar-se no divã de um psicanalista